Como Arrasar Um Coração

por Vinicius Carlos Vieira em 08 de Agosto de 2011

Como Arrasar Um CoraçãoPode parecer prepotência, coisa de crítico que prefere negar Hollywood para parecer mais intelectual, mas não é. O fato é que, mesmo enlatado e aprisionado por um gênero extremamente americano, é só um francês encarar a idéia que o resultado é melhor, Como Arrasar um Coração é apenas mais uma prova disso.

Estreia de Pascall Chaumeil (que comandou a segunda unidade de um punhado de filmes dirigidos por Luc Besson) Como Arrasar um Coração é uma comédia romântica daquelas que são construídas sobre uma mentira de um dos personagens, que acabam se apaixonando e, quando ela vem à tona, tudo é colocado em perigo para no final eles correm na mesma direção para um beijo apaixonado (nesse caso tudo isso é literal). A diferença aqui é o verniz.

Nele (no filme, não no verniz), Roman Duris (que interpretou o ladrão Arsène Lupin no filme homônimo de 2004) é Alex Luppi, um cara que tem a profissão de separar casais, até que um magnata o contrata para acabar com o noivado da filha (Vanessa Paradis, também conhecida como Sra. Johnny Depp) a dez dias do evento.

Toda estrutura está ai para ser adivinhada, começa com um interessante prólogo mostrando todo esse aparato que Luppi, a irmã e o cunhado criam para separar um casal no Marrocos, assim como, aos poucos (mesmo que a câmera de Chaumeil faça toda pose de “aqui vai seu herói” para apresentar o personagem), o espectador vai sendo convidado a acompanhar esse jogo de charme, onde todos sabem o próximo passo e, impreterivelmente, acabam com um choro canhestro, mas completamente divertido.

E é justamente esse cinismo (aqui sim o verniz) que mais carrega Como Arrasar um Coração, já que, ainda que o trio sempre deixeFilme Como Arrasar Um Coração claro que só faz isso com casais infelizes, Chaumeil não parece fazer questão de mastigar a infelicidade desse novo alvo, mas sim se preocupa em observar essa paixão que vai se formando entre eles. Sem forçar um conflito, mas se segurando dentro dessa farsa deliciosa e divertida que, sutilmente, vai se misturando ao real.

Lógico que visto de longe, Como Arrasar um Coração não cria nada de novo, e nem tenta (principalmente em termos estruturais), mas resulta em algo tão leve, bem humorado e com uma vontade de não ser apenas um enlatado qualquer (que em seu lugar, seria refém de um monte de planos abertos sobre Monte Carlo, um namorado com lá seus defeitos e um monte de coadjuvantes engraçadinhos), que conquista seu público seja brincando de Missão: Impossível, incorporando Patrick Swayze e Jennifer Grey em Dirty Dancing ou apenas sendo ele mesmo: simpático e apenas em busca de um longo beijo para acabar com essa história.


L´arnacoeus (Fra, 2010), escrito por Laurente Zeitiun, Jeremy Doner e Yoann Gromb, dirigido por Pacal Chaumeil, com Alex Lippi, Juliette Van Der Becq, Julie Ferrier, Froçois Damiens e Héléna Noguerra


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.