A cidade habitada pelos animais de Sing: Quem Canta Seus Males Espanta poderia ser uma localidade humana como qualquer outra, repleta de seres comuns com grandes sonhos. Assim, investindo em uma trama movida pelos personagens, a animação diverte e cativa mesmo sem fazer nada muito memorável.

O coala Buster Moon se apaixonou pelo teatro quando criança e, já adulto, conseguiu realizar o sonho de abrir sua própria casa de espetáculos. Entretanto, o lugar está longe de ser um sucesso e, agora, Buster encontra-se prestes a perder seu amado teatro. Para tentar reverter a situação, ele organiza uma competição musical que promete encontrar os grandes talentos escondidos na cidade e, assim, envolver a população inteira e mostrar a importância do estabelecimento. O problema é que, por um erro de sua secretária, a centenária iguana Karen Crawly, os flyers de divulgação prometem um prêmio de cem mil dólares ao vencedor — valor bem acima dos mil dólares planejados por Buster.

A promessa de fama e riqueza atrai a cidade inteira e, de uma fila quilométrica, Buster escolhe Mike, um arrogante camundongo com ares de Frank Sinatra; Ash, uma porco-espinho selecionada como artista solo mesmo competindo como dupla de rock ao lado de seu controlador namorado; Johnny, um jovem gorila cuja paixão por música desafia o pai, que deseja que ele siga sua trajetória no mundo do crime; Rosita, uma porca simpática e esgotada com sua rotina como dona-de-casa e mãe de 25 porquinhos; e Gunter, o animado porco que se torna parceiro de dança de Rosita. Além desse inusitado grupo, temos ainda a elefante Meena, dona de uma poderosa voz escondida por sua profunda timidez. A jovem não consegue se apresentar nos testes, mas torna-se assistente de palco de Buster na esperança de conquistar uma vaga no espétaculo da competição.

Sing Critica

Todos esses animais são apresentados de forma ágil e envolvente na abertura do longa, permitindo que conheçamos um pouquinho de suas vidas e personalidades antes de adentrarmos na trama propriamente dita. Por falar nisso, a montagem de Gregory Perler é um dos destaques de Sing, conduzindo os diversos personagens de forma dinâmica e aproveitando ao máximo as gags. Estas, aliás, não são excessivas na animação.

Afinal, o humor aqui é construído principalmente a partir das características dos personagens e de suas interações uns com os outros. Gunter rouba todas as suas cenas, e os diretores Garth Jennings (que também assina o roteiro) e Christophe Lourdelet sabem utilizá-lo na medida certa para não torná-lo cansativo. E como não rir a cada vez que o grupo de k-pop surge em cena? Já os personagens centrais dividem a paixão pela música, mas apresentam personalidades e histórias bastante diversificadas.

Nesse sentido, Rosita e Ash têm os arcos dramáticos mais destacados: enquanto a porquinha batalha contra as expectativas que ela obedeceu por tanto tempo, a porco-espinho enfrenta algo bastante familiar para as mulheres artistas (o controle e a diminuição impostas por um artista masculino), descobrindo aos poucos a força para desvencilhar-se do (ex-)namorado, que diminuia seu talento para que ele próprio pudesse se destacar. Ash, aliás, protagoniza o melhor número musical do filme, “Set it All Free”.

Simpático, envolvente e divertido, Sing: Quem Canta Seus Males Espanta tem tudo para agradar audiências de todas as idades, pois possui trama e personagens estruturados o bastante para cativar os adultos enquanto, é claro, os adoráveis e expressivos animais e o humor leve e ágil da animação são um prato cheio para os pequenos. Assim, mesmo que chegando perto de se perder na ação e no drama do terceiro ato, o filme é um bom passatempo, mesmo que não permaneça na mente do espectador por muito tempo após a sessão.


“Sing” (EUA, 2016), escrito por Garth Jennings, dirigido por Garth Jennings e Christophe Lourdelet, com as vozes (no original) de Matthew McConaughey, Reese Witherspoon, Seth MacFarlane, Scarlett Johansson, John C. Reilly, Tori Kelly, Taron Egerton, Nick Kroll, Nick Offerman e Leslie Jones.


Trailer – Sing: Quem Canta Seus Males Espanta

Outros artigos interessantes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.