Variações de Casanova | Descompasso com atualidade cria um figura trágica desse famoso conquistador

Variações de Casanova Filme

Variações de Casanova consegue provar que a ópera, até mesmo a transformada em filme, não é desse mundo. Não o mundo de hoje. Ela é terrivelmente mais lenta que isso, e por isso mesmo alheia à sua existência. Mas, além disso, aqui temos uma versão de Casanova que está em descompasso com a visão positiva de conquistador de mulheres. É um moribundo, e isso sim, diz muito mais sobre a época em que vivemos do que uma ópera de Mozart.

Baseado em três fontes distintas e escrito pelo diretor Michael Sturminger, a criativa história usa a persona sensual do ator John Malkovich (Ligações Perigosas) interpretando em uma peça que mistura cenários reais e o palco, além de misturar personagens e o público. Os atores/personagens interagem com a plateia e até tornam seus assentos parte do cenário. As câmeras registram tudo como um show televisionado, mas uma edição inspirada une todas as três formas de enxergar essa história.

Variações de Casanova Crítica

Casanova é o Don Juan plebeu que se ancorava na nobreza. Uma figura decadente na época que acumulava conquistas amorosas. Um “ninfomaníaco” de seu tempo que hoje é visto no filme como uma figura tão grotesca quanto trágica. Alguém que trouxe apenas dor para suas amantes e a si mesmo. Mas, assim como ele pontua na peça, a dor em si não consegue ser lembrada, mas apenas as circunstâncias em torno da dor.

Essa fascinação que sua figura exerce no imaginário coletivo tem seus dias contados no filme, que vai dilacerando em diálogos com uma misteriosa visitante (Veronica Ferres) a verdadeira faceta de alguém que “não consegue viver de repetições”. Se trata de uma história curta alongada pelos inúmeros números musicais que nessa bagunça de unir teatro, literatura e cinema, parece se divertir imensamente mais que o permitido pela paciência do espectador.

O resultado é um filme sem muito o que dizer, e que contrariando o próprio Casanova, vive de repetições. E ninguém consegue viver de repetições. Nem mesmo em um filme.


“Casanova Variations” (Fra/Aus/Por/Ale, 2014), escrito por Michael Sturminger, Markus Schleinzer, dirigido por Michael Sturminger, com John Malkovich, Veronica Ferres, Florian Boesch, Miah Persson, Lola Naymark


Trailer – Variações de Casanova

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.