Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme

Snoopy e Charlie Brown Filme

É um prazer presenciar um novo desenho baseado em um clássico e que faz tantas coisas certas mesmo tendo um enorme risco de fazer tudo errado. E talvez isso resuma Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme.

O último filme de Snoopy é uma retomada depois de mais de trinta anos da última aparição na telona. Na verdade, é mais do que isso: se trata de uma atualização visual no estilo do próprio desenho, que tenta agradar tanto o nostálgico – pela sua versão 2D com textura de 3D (e certa profundidade) – quanto o público mais jovem, que por acaso nunca tenha visto ou se interessado pelas tirinhas, quadrinhos e desenhos de TV de Charlie Brown e sua turma, incluindo ai o cachorro mais encantador de todos os tempos.

A história, para os mais ansiosos por novo conteúdo, pode decepcionar, e bastante. Toda a narrativa é uma reciclagem imensa de todos os temas já explorados pelo criador original das histórias, o cartunista Charles M. Schulz. No entanto, se olharmos mais de perto nessa pequena homenagem escrita pelo filho (Craig) e neto (Bryan) do criador, veremos sutis diferenças que se tornam grandiosas para personagens que nunca mudaram. Dessa forma, é encantador perceber que Charlie Brown, apesar de sempre seu estado de espírito oscilar entre os picos de um sonhador e os vales de um depressivo, aqui demonstra uma força de vontade e de caráter que são recompensados na medida certa. Se há uma noção certa sobre ensinar o “vencer na vida” para crianças, a moral da história aqui chega bem próximo disso.

Snoopy e Charlie Brown o Filme Crítica

Apresentando de maneira orgânica as características e esquisitices dos outros personagens conforme a história principal avança, que gira em torno da paixão eterna de Charlie pela Garotinha Ruiva, o filme está sempre se voltando para o novo público, principalmente o infantil. No entanto, é recompensador observar que ele nunca chega realmente a apelar para o besteirol inconsequente ou as piadas descontextualizadas de filmes do gênero, mas prefere se mostrar íntegro à proposta original de Schulz, podendo em algumas horas se tornar reflexivo, ou pior, depressivo demais para os mais pequeninos na sala de projeção. Quando vemos, por exemplo, o pequeno Charlie dizendo que todo mundo tem uma estrela no céu que brilha por você, e essa estrela cai, ao ouvir suspiros de “nossa!” de um adulto, obviamente acompanhando de uma criança, posso entender que talvez aqui e ali houve exageros em um filme de censura livre.

No entanto, é preciso lembrar que ano passado já havia estreado O Pequeno Príncipe, e que melhor exemplo de livro/filme para adultos (embora seja centrado em uma criança) pode haver? De qualquer forma, Snoopy entende em seu final que para tudo pode haver uma exceção, e conclui sacrificando a sutileza que Schulz havia construído em sua vida. Um sacrifíco polêmico, controverso, mas nunca em vão.


“The Peanuts Movie” (EUA, 2015), escrito por Cornelius Uliano, Bryan Schulz e Craig Schulz, à partir dos personagens de Charles M. Schulz, dirigido por Steve Martino.


Trailer – Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.