Palpites Oscar 2016

Ok, depois de escrever uma coluna falando só dos indicados ao Oscar de Melhor Documentário, e até ganhar a ajuda da Mariana Gonzalez que analisou os curtas de animação que concorrerão aos prêmios da Academia, a ideia era esmiuçar cada categoria principal. Mas hoje já é sábado e eu duvido que alguém ainda queira ler um textão sobre cada categoria.

A solução então é juntar todo mundo em um lugar só e deixar aqui minhas apostas. E para quem quiser dar uma olhada em todos indicados, tem uma lista para imprimir no site do Oscar.

Melhor Ator Coadjuvante
Ainda que Sly nem tenha sido indicado aos prêmios do Sindicato dos Atores, o vencedor por lá foi Idris Elba, que nem ao menos foi lembrado pela Academia (#OscarSoWhite). Por outro lado, todos outros quatro indicados também fazem trabalhos melhores que Stallone em Creed (destaque para Ruffalo em Spotlight e Rylance em Ponte de Espiões), mas o eterno Rock é a alma de seu filme e talvez acabe levando tanto por isso, quanto como homenagem a sua carreira e ainda um modo de sanar a injustiça de não se ver Creed indicado em mais categorias.

VENCEDOR: Silvester Stallone (Creed – Nascido Para Lutar)

Melhor Figurino
Ainda que no sindicato da categoria Garota Dinamarquesa e Mad Max tenham levado a melhor (Melhor Filme de Época e Melhor Fantasia), o segundo deve levar a melhor no Oscar, tanto para poder premiar o filme de George Miller, quanto pela sua enorme qualidade. Cada peça de roupa, cada detalhe e sobreposição contam uma história e perto dos outros indicados o futuro apocalíptico de Max é o único que busca algo diferente.

VENCEDOR: Mad Max – Estrada da Fúria

Melhor Maquiagem e Penteado
Ainda que ninguém tenha visto The 100 year old… e seu trunfo seja envelhecer um ator jovem e ainda “criar” vários famosos ao redor do tempo, e Mad Max seja todo aquele espetáculo visual, O Regresso tem os machucados do urso e o escalpo do Tom Hardy. E ainda que eles possam ter passado despercebido no escuro do filme, acreditem, eles estavam lá e vão levar o Oscar

VENCEDOR: O Regresso

Melhor Filme Estrangeiro
Em um desses momentos de total desleixo, esse que vôs fala não conseguir ver nenhum indicado… o que não o impede de falar com todas letras que O Filho de Saul vai levar a estatueta para casa. O filme húngaro tem holocausto, um judeu em uma situação inesperada, planos longos, um significado estético e uma lição de moral histórica. Impossível não emplacar.

VENCEDOR: O Filho de Saul

Melhor Curta Metragem
Em uma situação semelhante a do Filme Estrangeiro, o que me resta é chutar, e Day One, falando sobre Guerra do Afeganistão, grávidas e um monte de discussões morais deve levar.

VENCEDOR: Day One

Melhor Curta Metragem (Documentário)
Ok, essa conversa de “não vi nenhum filme da categoria” ficou chata. Então vamos escolher esse vencedor pela ordem alfabética.

VENCEDOR: Body Team 12

Melhor Mixagem de Som
Para quem confunde mixagem com edição, expliquei tudo direitinho recentemente em um podcast do Cinéfilo em série. Mas o importante é saber que a mixagem é o última estágio de tudo que é captado e criado, e com isso em mente, Mad Max deveria ser uma barbada, já que mistura trilha sonoro, com efeitos de som e diálogos tudo esfregado na cara do espectador com uma força incrível.

VENCEDOR: Mad Max – Estrada da Fúria

palpites-oscar-vencedores-mad-max

Melhor Edição de Som
Assim como na mixagem, Mad Max sai na frente pela complexidade com que cria esse mundo de sons, ainda que, nesse caso tenha um oponente tão o mais competente, já que O Despertar da Força enche os ouvidos. E talvez ai seja a oportunidade de premiar a maior bilheteria do ano com um Oscar, já que dificilmente Star Wars possa sair da premiação com mais alguma estatueta embaixo do braço.

VENCEDOR: Star Wars – O Despertar da Força

Melhor Atriz Coadjuvante
Ainda que o melhor jeito de acertar a maioria das categorias do Oscar seja seguir a risca as premiações dos Sindicatos, é bom de vez em quando apontar uma surpresa para dar credibilidade. A escolha inesperada na verdade nem é tão surpreendente assim, já que o trabalho de Kate Winslet em Steve Jobs é de encher os olhos, principalmente no modo como compõe as pequenas mudanças de sua personagem no decorrer das passagens de tempo do filme. Alicia Vikander ficou com o prêmio do Sindicato por seu trabalho em Garota Dinamarquesa, mas a grande verdade é que ela só chama a atenção ali, porque o resto do filme é uma porcaria.

VENCEDORA: Kate Winslet (Steve Jobs)

Melhores Efeitos Visuais
Ex-Machina é sobre uma mulher vestida de verde por caus do chroma key; Despertar da Força criou todo universo; Perdido em Marte… bom… criou Marte; Mad Max teve que apagar um número incalculável de cabos; mas acima de tudo isso O Regresso criou o urso.

VENCEDOR: O Regresso

Melhor Curta-metragem (Animação)
De acordo com a Mariana González em seu especial para o CinemAqui, The World of Tomorrow não só é o melhor curta de animação, como pode ser considerado um dos melhores filmes do ano, então…

VENCEDOR: The World of Tomorrow

Melhor Animação
Ainda que todos outros quarto concorrentes de Divertida Mente tenham lá seus méritos, e que sobre isso a presença de O Menino e o Mundo seja uma honra enorme para o Brasil, parafraseando a Mariana, Divertida Mente é sem dúvida nenhuma um dos maiores filmes do ano, então…

VENCEDOR: Divertida Mente

Melhor Design de Produção
Como o caso dessa categoria é o de criar mundos, ainda que Ponte de Espiões, Garota Dinamarquesa e O Regresso recriem suas épocas com uma exatidão incrível, Perdido em Marte e Mad Max não só reimaginaram, como criaram mundos. A diferença é que o visual do mundo apocalíptico de George Miller, cada detalhe, cor, penduricalho, carro ou roupa parecem ter uma história enorme por trás. Um poder visual incrível.

Vencedor: Mad Max – Estrada da Fúria

Melhor Fotografia
Sair de Mad Max e pensar “já temos um vencedor do Oscar de Melhor Fotografia”, enquanto imagina como John Seale consegui “passear” em meios aos carros só para satisfazer a visão de George Miller é a coisa mais fácil. Mas ai você entra na sessão de O Regresso e vê o já duas vezes ganhador do Oscar (Birdman e Gravidade) Emmanuel Lubeski com aqueles planos enormes só usando a luz natural, você pensa: “Ok, vamos falar desse trabalho dele por algumas décadas, assim como ainda se fala da luz de velas do Barry Lyndon. E talvez o Oscar seja o mínimo que ele possa ganhar”.

VENCEDOR: Emmanuel Lubeski (O Regresso)

Melhor Montagem
Ainda que qualquer um do quatro filmes que competirão com A Grande Aposta tenha ritmos incríveis, o próprio não permitirá que nada o impeça de levar essa estatueta.

VENCEDOR: A Grande Aposta

palpites-oscar-vencedores-a-grande-aposta

Melhor Documentário
Como eu disse no meu último editorial, ainda que Cartel Land, Look of Silence e Winter of Fire sejam muito melhores que Amy, que mais parece uma colagem, o documentário sobre a cantora inglesa vai levar a estatueta e servirá de ferramenta para a Academia se aproveitar um pouco do hype da cantora.

VENCEDOR: Amy

Melhor Trilha Sonora Original
Se já é um injustice enorme o incrível Os Oito Condenados de Quantin Tarantino ter passado tão despercebido no Oscar de 2016, pelo menos nessa categoria talvez ninguém tenha coragem de votar em alguém que não seja Ennio Morricone, que realmente faz um trabalho incrível e daqueles que já entram para a lista dos inesquecíveis dentro do gênero.

VENCEDOR: Ennio Morricone (Os Oito Condenados)

palpites-oscar-vencedores-oito-odiados

Melhor Roteiro Original
É quase improvável (e praticamente impesável) quando o vencedor do Sindicato dos Roteiristas não leva o Oscar junto. Desde 2000 foram cinco vezes, e em 2016 não será a sexta, já que Spotlight é realmente incrível, com uma história obrigatória e diálogos sensacionais.

VENCEDOR: Thomas McCarthy e Josh Singer (Spotlight – Segredos Revelados)

Melhor Roteiro Adaptado
Assim com na sua “categoria irmã”, desde o começo do século, apenas cinco filmes não ganharam o Sindicato e o Oscar juntos. E ainda que Perdido em Marte e O Quarto de Jack sejam trabalhos incríveis, a quantidade de informações, personagens, reviravoltas e situações de A Grande Aposta faz com que seja impossível que seu roteiristas não levem a estatueta para casa.

VENCEDOR: Michael Lewis, à partir do livro “The Big Short: Inside The Doomsday Machine” (A Grande Aposta)

Melhor Diretor
Mantendo a chatice de falar em Sindicatos, somente três vezes desde 2000 alguém levou o Director Guild Awards e na sequencia não saiu da cerimônia com a estatueta embaixo do braço. Já falando em história, somente outras duas vezes na história do Oscar um diretor levou o prêmio duas vezes seguidas (Mankiewicz em 1950 e no ano seguinte; e John Ford em 1941 e 42). Mas tudo não tirará a atenção de Alejandro G. Iñárritu e de seu incrível trabalho em O Regresso.

E aqui um parágrafo a mais somente para salientar o quanto George Miller não só poderia levar o Oscar, como faria disso um daqueles momentos da Academia em que ela aceita estar em 2016 e não em algum lugar do século passado em que ainda precise fazer vista grossa para os grandes blockbusters. Mas infelizmente isso não irá acontecer.

VENCEDOR: Alejandro G. Iñaárritu (O Regresso)

Melhor Ator
#TeamLeo

VENCEDOR: Leonardo DiCaprio (O Regresso)

Melhor Atriz
Jennifer Lawrence não sabe o que está fazendo entre as indicadas; Charlote Rampling não deve ter voto nenhum depois de falar aquela besteira sobre o #OscarsoWhite; Cate Blachet já teve sua cota de prêmios e indicações; e enquanto isso Saoirse Ronan (cujo nome eu não sei pronunciar) tem um trabalho morno em um filme morno. E ainda que sobre para Brie Larson, seu trabalho é mais que competente e de qualquer jeito iria sair vencedora dessa categoria.

VENCEDORA: Brie Larson (O Quarto de Jack)

palpites-oscar-vencedores-quart-de-jack

Melhor Filme
Mantendo aquela chatice dos Sindicatos, desde 2000 somente quarto filmes não levaram o Prêmio dos Produtores e depois não levaram o Oscar (esqueçam o papo do Melhor Elenco dos prêmios do Sindicato dos Atores que eles não dizem muito), acontece que em um ano em que os prêmios serão dispersos entre três filmes, ainda que tudo rume para A Grande Aposta repetir seu prêmio do Sindicato (e eu esteja torcendo para Mad Max!), O Regresso chegará ao final da noite com quatro estatuetas, incluindo duas das principais e, muito provavelmente, será o grande vencedor da noite.

VENCEDOR: O Regresso

Números Finais:

O Regresso – 6 Oscars
Mad Max – Estrada da Fúria – 3 Oscars
A Grande Aposta – 2 Oscars
O Quarto de Jack – 1 Oscar
Spotlight – Segredos Revelados – 1 Oscar
Os Oito Condenados – 1 Oscar
Steve Jobs – 1 Oscar
Creed – Nascido Para Lutar – 1 Oscar
Star Wars – O Despertar da Força – 1 Oscar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.