Scorsese, SAG, Favreu e Black Edwards

por Vinicius Carlos Vieira em 19 de Dezembro de 2010

Oscar

E agora não tem mais jeito, a corrida para o Oscar teve inicio e daqui para diante, todo e qualquer premiação que aparecer leva o rótulo de “termômetro” para os prêmios da Academia. E com a lista dos candidatos ao Globo de Ouro (que você pode conferir aqui) não tendo empolgado muita gente, os olhos se voltaram, então, para onde realmente faz a diferença. O primeiro deles é o “Screen Actors Guild Awards”, associação de atores que elegem os melhores do ano de acordo com os votos dos próprios atores (que são os mesmos que votam no Oscar). Os prêmios só serão dados no dia 30 de janeiro e os indicados estão aqui:

Melhor Ator

Jeff Bridges (“Brávura Indômita”)

Robert Duvall (“Get Low”)

Jesse Eisenberg (“A Rede Social”)

Colin Firth (“O Discurso do Rei”)

James Franco (“127 Horas”)

Melhor Atriz

Annette Benning (“Minhas Mães e Meu Pai”)

Nicole Kidman (“Rabbit Hol”)

Jennifer Lawrence (“Inverno da Alma”)

Natalie Portman (“Cisne Negro”)

Hilary Swank (“Conviction”)

Melhor Ator Coadjuvante

Christian Bale (“O Vencedor”)

John Hawkes (“Inverno da Alma”)

Jeremy Renner (“Atração Perigosa”)

Mark Ruffalo (“Minhas Mães e Meu Pai”)

Geoffrey Rush (“O Discurso do Rei”)

Melhor Atriz Coadjuvante

Amy Adams (“O Vencedor”)

Helena Bohan Carter (“O Discurso do Rei”)

Mila Kunis (“Cisne Negro”)

Melissa Leo (“O vencedor”)

Hailee Steinfeld (“Bravura Indômita”)

Melhor Elenco

“Cisne Negro”

“O Vencedor”

“Minhas Mães e Meu Pai”

criador e criatura

“O Discurso do Rei”

“A Rede Social”

E como onde tem fumaça há fogo, os nomes já começaram a se repetir, portanto…

Iron Man 3

E depois de dois enormes sucessos que abriram as portas para todo um universo de personagens da Marvel, o diretor John Favreau está oficialmente longe do terceiro filme do “Homem de Ferro”, que só deve estrear depois dos “Vingadores”. O diretor, após acabar seu “Cowboys e Aliens”, que estreia ainda em 2011, deve então gastar seu tempo na

criador e critura? (foto de Brigitte Lacombe)

cadeira de diretor de “Magic Kingdom”, projeto da Disney que deve ser ligado ao próprio parque.

The Irishman

E o natal chegou mais cedo para os fãs de cinema, depois de terminar seu “Hugo Cabaret” o diretor Martin Scorsese já anunciou que um de seus projetos o leva de volta ao mundo da máfia com a história do assassino Frank “The Irishman” (que é também o nome do filme) Sherrman. A cereja (bem verdade no plural) é a presença de Robert De Niro no papel título, assim como a de Al Pacino (pela primeira vez trabalhando com o diretor) e ainda Joe Pesci e Harvey Keitel, dois companheiros antigos de Scorsese. É lógico que, mesmo praticamente confirmados, alguns desses nomes podem ficar pelo caminho, mas, muito provavelmente, os fãs já podem começar a festejar essa reunião.

Blake Edwards

Edwards e sua esposa, e noviça rebelde, Julie Andrews

E o cinema ficou um pouco mais sem graça esse semana quando, ao 88 anos, o diretor Blake Edward se foi. Criador de personagens icônicos como o atrapalhado detetive Clouseau, vivido pelo genial Peter Sellers, na franquia da “Pantera Cor-de-Rosa”, Edwards ainda pode ser lembrado por momentos clássicos do cinema como “Bonequinha de Luxo”, “Mulher Nota 10”, “Victor ou Victória”, “A Corrida do Século” e, que para mim é sua maior obra, “Um Convidado Trapalhão” (também do Sellers). O mundo fica mais triste, mas o cinema ganha mais um Deus em seu Olimpo.