Na Mira do Perigo | O mundo não cansa do Liam Neeson

Na Mira do Perigo | O mundo não cansa do Liam Neeson


Se existe uma impressão de que Liam Neeson simplesmente não para, pode crer que você está certo ou certa. Dez anos atrás, com sessenta anos nas costas o ator irlandês estava aparecendo nos cartazes de quatro filmes, entre eles a continuação de Busca Implacável. Já aos setenta anos, além de Na Mira do Perigo, dois outros filmes contam com o ator no mesmo ano.

Entre essas duas datas, quase vinte filmes, uns dez deles com Neeson no “Modo Duro de Matar”, aquele onde um personagem especializado em bater em bandidos acaba sem querer no meio de uma situação onde alguns bandidos dão o azar de cruzar o caminho dele. E mesmo com quase setenta anos na certidão de nascimento, Neeson continua dando conta de todos esses caras maus.

A ideia agora conversa com um punhado de faroestes e até com a trama do último filme de um certo mutante canadense. O trio Chris Charles, Danny Kravitz e Robert Lorenz adaptam esse monte de referências para contar a história desse ex-fuzileiro naval e veterano da Guerra do Vietnã que curte sua velhice e viuvez no Arizona, sozinho em sua casa e passeando com seu rifle de caça pela fronteira do México.

Jim (Neeson) então encontra uma criança e sua mãe fugidos do “país ao sul” e perseguidos pelo Cartel. Sobra para o herói proteger o garoto Miguel (Jacob Perez) enquanto o leva para os familiares em Chicago. Isso enquanto o filme desperdiça a presença de Katheryn Winnick, que depois de anos matando ingleses e franceses na série Vikings agora é só uma moça bonita para Neeson conversar pelo telefone. Winnick merecia um filme de ação só para ela, talvez até no papel de Jim, assim como o espectador mereciam algo de minimamente interessante em Na Mira do Perigo.

Tudo no filme é óbvio, burocrático e preguiçoso. Os vilões são caricaturas sem vida e mesmo o líder deles, vivido por Juan Pablo Raba, parece perdido entre a vontade de ser mauzão e se perder em pensamentos enquanto observa os americanos sendo americanos. Mesmo que esse segundo momento dele não sirva para nada dentro do filme.

O filme dirigido por Robert Lorenz, que não faz nada demais por trás das câmeras, se apoia nesses momentos pseudo complexos sem que nenhum deles signifique muita coisa. O próprio Jim tem um problema com álcool que é resolvido sem muita motivação, assim como o relacionamento dele com o garoto nunca permite ao espectador essa sensação de ligação que vai se reforçando. Além do tempo que ficam juntos, falta acrescentar camadas aos dois, pelo menos o suficiente para que essa união gere qualquer sentimento.

Esse desastre todo é ainda embalado por uma produção que beira, ou o amadorismo, ou a completa falta de dinheiro. A fotografia parece ser digital demais e com jeitão de “filme feito para a TV” (precisamos voltar a usar essa expressão e não confundir com as produções para os grandes streamings!) e uma trilha sonora, mais parece saída de algum canal de faixas grátis de algum site na internet.

O público com certeza irá conferir o filme porque o Liam Neeson continua levando uma galera ao cinema (ou ao “play” no sofá), principalmente quem espera que o ator, mesmo com seus quase setenta anos, continue descendo o cacete no maior número possível de caras maus. Infelizmente, até esse pessoal irá se decepcionar com as poucas cenas de ação. Muitos tiros, um ou dois socos, e só.

Para o bem da carreira de Neeson e dos amantes de cinema, o ator continua carismático e comprometido, o que garante sempre uma entrega além da preguiça de qualquer que seja o filme onde ele se encontra. Neeson continua provando que é um dos atores mais interessantes de sua geração e, com toda certeza, assim que parar de ficar por aí batendo em bandido genérico, com certeza ainda terá muito tempo para colocar seu nome em mais um monte de atuações e filmes que farão jus a sua incrível carreira, por mais que as vezes ela tenha essas bobagens como Na Mira do Perigo cravadas bem no meio de sua filmografia.


“The Marksman” (EUA, 2021); escrito por Chris Charles, Danny Kravitz e Robert Lorenz; dirigido por Robert Lorez; com Jacob Perez, Teresa Ruiz, Juan Pablo Raba, Liam Neeson e Katheryn Winnick


Trailer do Filme – Na Mira do Perigo

Quer receber as melhores notícias do cinema?

Inscreva-se na newsletter do CinemAqui e receba um resumo semanal do que está acontecendo no mundo dos filmes.