Micmacs – Um Plano Complicado

por Vinicius Carlos Vieira em 16 de Março de 2011

Talvez a capa do DVD de Micmacs – Um Plano Complicado gritando “Obra-Prima” seja um pouco de exagero, ainda mais levando em conta a assinatura do francês Jean Pierre Jeunet (de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain e Delicatessen) que, sem sombra de dúvida, não faz seu melhor filme, mas, ainda assim, é fácil entender o porquê do adjetivo, já que, quem é fã do diretor não se decepciona com um só frame desse seu novo filme.

Jeunet continua se divertindo exatamente com isso: essa assinatura (visual e narrativa) que seus filmes tem, esse ritmo próprio e uma fauna divertidíssima de personagens. Micmacs – Um Plano Complicado vive naquele mundo meio esquisito que o diretor sempre vai visitar, onde o moderno parece conviver com o velho (ou nesse caso, algo mais vintage) e os conflitos são resolvidos de modo inocente e divertido.

Nesse lugar, o espectador é apresentado a Basil em dois momentos que fizeram sua vida mudar de rumo, o primeiro, quando seu pai morreu ao pisar em uma mina terrestre, o segundo, quando ele próprio morreu com uma bala perdida na cabeça. Na verdade Micmacs – Um Plano Complicado é a história dessa segunda chance que Basil tem, já que acaba sobrevivendo na mesa de cirurgia (mas com a bala presa ao seu cérebro como lembrança).

Sem emprego e sem casa, Basil acaba dando de cara com uma espécie de família que mora em um lixão e vive de reciclá-lo nos mais criativos resultados, e é ai que ele tem a oportunidade de se vingar, por ele e por seu pai, ao dar de cara com as empresas que produziram a bala e a mina que causaram suas tragédias.

Micmacs – Um Plano Complicado não se esconde do simples, como seu subtítulo lembra, e vai com sede a esse enorme e complicadíssimo plano traçado por Basil, ao melhor estilo Yojimbo (e, conseqüentemente, Por um Punhado de Dólares), onde ele faz os dois vilões se atacarem entre si, um culpando o outro. Tudo, temperado com um jeito Missão Impossível (reciclado e cheio de geringonças) de ser.

Em Micmacs – Um Plano Complicado, tudo faz parte dessa brincadeira, dessa fábula que luta para não ser um delicioso filme mudo (mesmo preferindo ser e adorando isso), que Jeunet tem o prazer de brindar a seu público, cheia de estilo, emoção e um visual completamente marcante. Que não tenta ser genial (talvez por que o diretor já tenha conseguido fazer isso algumas vezes), mas vai conquistar todos com sua simpatia

_____________________________________________________________________________________________

Micmacs à Tire-larigot (Fra, 209), escrito Jean-Pierr Jeunet e Guillaume Laurante, dirigido por Jean-Pierre Jeunet, com Dany Boon, André Dussollier, Jean-Pierre Mariell, Yolanda Ferrier, Omar Sy, Dominique Pinon, Michel Crémadès e Marie-Julie Baup.

‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾‾

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.