Especial Oscar 2013 – Curtas em Animação

Como quase todo ano acontece, os cinco indicados a Melhor Curta Metragem em Animação foram liberados para serem vistos pela internet. Então confira.

Paperman

Adam and the Dog

Head over Heels

Maggie Simpson: The Longest Daycare

Fresh Guacamole

Talvez Curta Metragem em Animação seja uma das categorias que mais passe despercebida pela noite de premiações do Oscar, mas, sem dúvida nenhuma, é uma das que mais abre portas, o que, ironicamente, acaba tornado-a extremamente importante, principalmente para quem ainda procura um lugar ao sol, já que não são poucos diretores de animações atuais (que figuram em grandes estúdios) que viram seus nomes despontarem antes de qualquer coisa na noite dos prêmios da Academia.

Em 1988 um certo John Lasseter e uma certa Pixar levaram a estatueta, dois anos depois o criador de Wallace & Grommit ganhou o prêmio (além outros dois em 1993 e 1995), sem esquecer, é claro, do brasileiro Carlos Saldanha, que emplacou uma indicação em 2003 e acabou perdendo para Adam Eliot e seu Harvey Krumpet, que, decididamente, lhe abriu as portas para conseguir realizar o sensacional Mary and Max (assim como Saldanha, que hoje está cheio de moral em Hollywood, graças a A Era do Gelo e Rio).

Enfim, o que importa é que, diferente da enorme maioria de categorias, os Melhores Curta Metragens em Animação, são sempre um monte de deliciosas surpresas. E em 2013 não vai ser diferente.

De um lado os “blockbusters” The Longest Daycare, que foi exibido antes da última continuação de A Era do Gelo e do outro Paperman, aposta da Disney e que foi atrelado às cópias de Detona Ralph. Em outras palavras: visto por muito mais gente que os outros três competidores juntos. Ainda que os dois estejam tão longe em questão de qualidade.

especial-oscar-animação-curta-paperman

The Longest Daycare conta uma história descartável e que só parece se divertir diante da profundidade do 3D, uma pequena narrativa envolvendo a bebê da família Simpson, Maggie, que, provavelmente, nem conseguisse lugar dentro da própria série. Do outro, “Paperman” é sensível, caprichado, bonito e tem aquela vontade de ser clássico, de ser lembrado mais para frente como um daqueles momentos mágicos que a Disney, ainda vez ou outra, conquista a todos.

Já os outros três, começam pela besteira sem sentido Fresh Guacamole, feito muito mais como uma experimentação em stop motion do que qualquer coisa e passa pelo simpático Adam and Dog, que ganhou o Annie Awards em 2012 e conta a história de um cãozinho que vive no Jardim do Éden e encontra um certo rapaz nu. Uma premissa interessante, mas que se torna óbvia, mesmo diante de um visual cheio de personalidade e um cachorrinho que vai conquistar a todos.

Por último, Head Over Heels acabe sendo o mais interessante dos cinco, tanto pela ideia, quanto pelo resultado estético e pelo esforço em criar uma narrativa com tanto significado e sensibilidade.

Talvez a Academia acabe não conseguindo fugir de premiar a Disney e seu Paperman, mas de qualquer forma, não será surpresa nenhuma que Head Over Heels saia vitorioso caso o Oscar (e seus votantes) esteja em um daqueles “momentos sensíveis”.

Portanto…

Melhor Curta-Metragem em Animação: Paperman (mas torcendo um pouquinho por Head Over Heels)

Confira também a primeira parte do Especial Oscar com uma análise da categoria de Melhor Diretor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.