Ressaca de Amor Filme

Ressaca de Amor

Talvez com um pouco mais de empenho essa estréia do roteirista de As Aventuras de Dick e Jane, Nichollas Stoller, na direção, resultasse em um filme mais sutil na maioria de seus pontos, com isso conseguindo, talvez, pular fora de uma estrutura óbvia que acaba estragando, um pouco, algumas surpresas e acabam deixando o Ressaca do Amor arrastado.

Mas mesmo assim se sustenta com situações beirando o bizarro e de ótimas atuações cômicas de todo elenco, principalmente do simpático Jason Segel, no papel do compositor de trilhas para séries, que depois de tomar um fora da estrela do programa (Kristen Bell), acaba fugindo para o Havaí, mas que acaba dando de cara com a ex já com um novo namorado.

Ainda que longe dos outros “filhos” da grife Judd Apatow (Virgem de 40 Anos e Ligeiramente Grávidos) que aparece como produtor (coisa que ele vem fazendo em algumas das melhores comédias das últimas duas décadas, uma procurada na internet não me deixa mentir), Ressaca de Amor é muito melhor que todas escatologias, paródias, Eddie Murphys sob maquiagem (ou sem) e Rob Schineiders em geral. O que já vale a pena.


“Forgetting Sarah Marshall” (EUA, 2008) escrito por John Segel, dirigido por  Nicholas Stoller, com  Jason Segel, Kristen Bell, Mila Kunis e Russel Brand