Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica | Embarque nessa aventura mágica


A vida é uma jornada. E isso fica mais legal ainda quando colocamos tudo pela ótica do Monomito de Joseph Campbell… tudo bem, ainda dá para ficar mais legal se estivermos em um mundo de magia e fantasia cheio de alfos, ciclopes, centauros e ainda os odiosos unicórnios. Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica, novo filme da Pixar, sabem muito bem disso tudo.

Para os fãs de RPG de fantasia, Dois Irmãos mostra um mundo onde todas aquelas criaturas que circulam nas mesas de jogos evoluíram junto com esse mundo onde não existem humanos. A eletricidade levou tudo a uma realidade comum a todos nós do lado de cá da tela, mas isso com uma tonelada de referências, “easter eggs” e uma história emocionante.

Sim, depois de toda aventura, pode preparar uma boa meia hora de lágrimas que completam o filme e o tornam uma opção imperdível.

O filme conta a história de Ian Lightfoot, um elfo que chega aos 16 anos com todas inseguranças e dúvidas que qualquer adolescente teria. O acréscimo é ele ainda ter o peso de não ter conhecido o pai, falecido antes dele nascer. Já Barley é o irmão mais velho e maluco, extravagante e viciado na espécie de RPG chamada “História de Outrora”, uma “meta-meta-linguagem” onde ele pode viver as aventuras de seus antepassados, quando a magia ainda era presente na sociedade.

Dois Irmãos então é sobre essa magia, já que o pai falecido deixa um presente para os dois que só poderia ser aberto quando ambos tivessem 16 anos. O presente, um cajado de mágico que, diante de um encantamento especial, traria ele de volta por um dia para conhecer os dois filhos. O problema é que o feitiço não dá certo, os filhos só conseguem “trazer” o pai da cintura para baixo e (como num bom RPG) precisam partir em uma missão para encontrar uma gema mágica.

Escrito e dirigido por Dan Scanlon (de Universidade Monstros), o texto impecável ainda tem a participação de Jason Headley e Keith Bunin. “Impecável”, pois não existe nada fora do lugar em Dois Irmãos, é lógico que estamos falando de uma aventura mais simples do que, por exemplo, o complexo Divertida Mente, mas o efeito é tão poderoso quanto o de seu parente de estúdio.

É lógico que no fundo, Dois Irmãos é a busca desses… dois irmãos pelo pai, assim como no meio do caminho têm a oportunidade de se conhecerem melhor e entenderem quem realmente são. Tudo bem, nada de novo, mas pode acreditar, o rumo da história é de uma sensibilidade digna dos melhores filmes da Pixar e não permite que ninguém fique aquém de uma boa dose de surpresas (e lágrimas).

Na superfície, além do visual divertido, Dois Irmãos é aquela famosa “Jornada do Herói” com Ian aprendendo a se tornar um mago enquanto, por exemplo, perde o medo de dirigir e consegue acreditar em si próprio. Se o ponto de início dessa aventura é uma modernizada Taverna da Mantícora, cheia de crianças berrando e o mapa pode também vir do menu infantil, a aventura clássica está lá, estágio por estágio, com aliados, mentores, cavernas, aprendizado e uma batalha final onde ele poderá colocar em prática tudo aquilo que descobriu ser capaz.

Uma jornada que faz com que qualquer um se apaixone pelos dois personagens principais, com personalidades bem diferentes, mas que se completam nesse objetivo comum, que pode ser ver o pai mais uma vez ou, simplesmente, viver essa grande aventura em sua homenagem. E acreditem, se a ideia do pai apenas da cintura para baixo parece uma maluquice, o resultado é delicioso e repleto de ótimos momentos.

Como é de se esperar, a Pixar caminha novamente nessa corda bamba entre o sutil e o gigante. Deixa o garoto Ian falando com o pai através de uma fita gravada antes da sua morte em um momento emocionalmente intenso, ou se jogar em uma batalha contra um dragão feito de concreto e ferro, representando a falta de magia de uma sociedade que resolveu ignorar seu passado. Como em um bom filme da Pixar, tudo cabe em Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica, basta embarcar nessa aventura.


“Onward” (EUA, 2020), escrito por Dan Scanlon, Jason Headley e Keith Bunin, dirigido por Dan Scanlon, (no original) com vozes de Tom Holland, Chris Pratt, Julia Louis-Dreifus, Octavia Spencer, Mel Rodriguez, Ali Wong e Tracey Ullman


Trailer do Filme – Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.