Bala Perdida | Só acelerar


Não se enganem, o país que inventou o cinema também é um país que adora seus filmes de ação, principalmente os com carros perseguindo carros pelas ruas estreitas da França. Bala Perdida, nova produção da Netflix, é exatamente um desses filmes que adoram seus carros.

“Adorar” é uma palavra perigosa, já que o que os franceses gostam mesmo é amassar, jogar para o alto, acelerar e destruir seus carros enquanto seus heróis fogem de algum tipo de bandido. Exatamente, parte da diversão desse “gênero” francês é sua simplicidade, e isso se estende para todos seus filmes de ação. Esqueça a vontade de Hollywood de ser mais do que o necessário, o cinema francês sabe exatamente até onde ir.

Bala Perdida não desperdiça nada, tem uma trama que está lá só para servir de desculpa para algumas boas cenas de ação. O filme é escrito e dirigido por Guillaume Pierret e mostra esse mecânico, Lino (Alban Lenoir), que depois de uma malsucedida tentativa de roubar uma joalheria, acaba indo parar em uma prisão de segurança mínima. Mas isso por pouco tempo, já que suas habilidades com os carros irão lhe dar uma nova oportunidade na equipe anti-tráfico de Charas (Remzy Bedia).

E se no começo do filme Lilo consegue transformar um Clio em um personagem de filme de ação, o que faz com os carros da equipe coloca o grupo de policiais em pensamento de ação que beira o Mad Max com seus carros de interceptação. Mas tudo isso acaba quando Lilo acaba sendo acusado e perseguido por um grupo de policiais corruptos, o que o faz perseguir as provas que o inocentam enquanto desce a porrada em todo mundo e voa pelas ruas com alguns carros velozes.

Só isso mesmo, sem enrolação, só ação. O fiapo de trama vai se emaranhando no meio disso, mas nada muito complicado, e quem gosta de ação, não vai se importar com isso. Pierret cria cenas de ação claras e divertidas, lutas bem coreografadas e sempre com aquela sensação de realidade que machuca e deve deixar alguns roxos nos atores.

Portanto, se o que todo mundo quer mesmo é um final explosivo, cheio de carros sendo destruídos, slow motion e uma corrida contra o tempo, Bala Perdida tem tudo isso e não irá decepcionar nenhum fã de filmes de ação. O final meio aberto ainda dá espaço para imaginar um “número 2” ao lado do próximo filme, já que os franceses ainda adoram suas continuações de filme de ação, como a série Taxi e seus cinco filmes. Portanto, podem esperar mais ação, mais carros velozes e, quem sabe, mais um Clio ultrapassando paredes de concreto, afinal, nem só de muscle cars vive o gênero, às vezes os carrinhos franceses dão bastante conta da responsabilidade.

“Balle Perdue” (Fra, 2020); escrito por Guillaume Pierret, Alban Lenoir e Kamel Guemra; dirigido por Guillaume Pierret; com Alban Lenoir, Nicolas Duvauchelle, Ramzy Bedia, Stéfi Celma, Rod Paradot, Stephen Scardicchio e Pascale Arbillot

Trailer do Filme – Bala Perdida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.