Sobre Amigos, Amor e Vinho

Sobre Amigos, Amor e Vinho Filme

“Os melhores anos ainda estão por vir”, diz o protagonista de Sobre Amigos, Amor e Vinho a seu jovem filho. A mensagem é para os dois: enquanto o rapaz obviamente ainda está apenas começando a vida, o longa é centrado no fato de que, mesmo depois de cinco décadas de vida, ainda há muito a ser feito e descoberto. É uma lição nobre que, infelizmente, o diretor Eric Lavaine decide contar através de personagens desinteressantes envolvidos em conflitos mal desenvolvidos que falham em engajar o espectador.

Antoine (Lambert Wilson) sempre seguiu todas as recomendações destinadas a uma vida longa e saudável: faz esportes, cuida da alimentação, não fuma, bebe pouco. Até que, às vésperas de seu aniversário de cinquenta anos, ele sofre um infarto. O susto faz Antoine rever suas perspectivas e noções de vida – afinal, se todo o cuidado não evitou o perigo, para quê se preocupar? Ao lado de seus amigos de longa data e suas respectivas esposas, ele começa, então, a abusar de tudo o que evitou tão cuidadosamente ao longo de sua vida.

Os problemas de Sobre Amigos, Amor e Vinho começam no fato de que o roteiro não se preocupa em integrar os amigos de Antoine ao centro da história, escrevendo-os de acordo com o que é necessário para o protagonista. Assim, eles nunca são vistos como indivíduos com vidas próprias, e é difícil se importar com um grupo de amigos se o próprio longa é focado apenas no protagonista. Da mesma forma, os conflitos que envolvem aquelas pessoas são batidos, envolvendo principalmente suspeitas de traição e envolvimentos de um amigo com a ex-esposa do outro, e tratados sem nenhum frescor. Assim, o longa se resume a acompanhar desenrolares pouco intrigantes entre pessoas que mal conhecemos.

Sobre Amigos, Amor e Vinho Crítica

Por outro lado, a dinâmica entre o grupo é natural e rende momentos divertidos – suas interações parecem realmente aquelas entre pessoas que se conhecem há muito tempo e passaram por muitas coisas juntos. As belas locações em que o filme é ambientado também ajudam, mas elementos como a narração do protagonista, misturando cinismo e “lições de vida”, colaboram ainda mais para enfraquecer o longa.

Afinal, enquanto Antoine não cativa o suficiente para que torçamos particularmente por sua felicidade, o protagonista irrita em meio às mudanças de seus sentimentos em relação aos seus amigos. Enquanto a obra deixe claro que o tédio dele em relação às mulheres que conhece é devido a seu próprio desencanto com sua vida, o roteiro não deixa de investir em alguns desagradáveis comentários homofóbicos e machistas. Obviamente não tentando ser profundo ou dramático, o longa também não consegue ser divertido ou cativante. Além disso, é difícil se encantar com um filme que termina com uma piada sobre pessoas dirigindo bêbadas.

Resta ao espectador, portanto, admirar as paisagens deslumbrantes do interior francês. Sobre Amigos, Amor e Vinho está longe de ser um desastre, e provavelmente irá agradar aos espectadores que se identificarem mais fortemente com os personagens, mas se estabelece como uma produção esquecível e, muitas vezes, entediante.


“Barbecue” (Fra, 2014), escrito por Eric Lavaine e Héctor Cabello Reyes, dirigido por Eric Lavaine, com Lambert Wilson, Franck Dubosc, Florence Foresti e Guillaume de Tonquedec


Trailer – Sobre Amigos, Amor e Vinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.