À Procura de Eric

À Procura de Eric Filme

Quem vê o ídolo do Manchester United Eric Cantona no cartaz de A Procura de Eric pode até se surpreender com a quase ausência do futebol no filme de Ken Loach, mas com certeza não conseguirá não se divertir com esse filme sensível.

Na verdade o Eric do título, por mais que pareça ser o jogador, é o carteiro de Manchester que cria os dois filhos da ex-mulher enquanto parece prestes a cair em um tipo de surto. Seus amigos de trabalho são os primeiros a desconfiar disso e propõe uma espécie de intervenção em forma de uma dinâmica de grupo, onde cada um escolheria um ídolo para olhar através de seus olhos, é ai que entra o outro Eric.

É o francês Cantona que aparece como um livro de auto-ajuda para Eric, ajudando-o na procura por sua auto-estima e felicidade, já que ele ainda tem a oportunidade de corrigir um erro do passado com sua primeira mulher.

Loach não finge uma loucura nem uma existência do personagem, simplesmente o coloca junto do protagonista como um claro produto de sua imaginação, de seu subconsciente, de um pedaço dele mesmo que deve ser encarado. O Eric carteiro é franzino, abalado por uma vida de sacrifícios e culpa, enquanto o outro Eric é uma maquina de confiança, ainda mais quando o primeiro observa o enorme pôster do segundo em seu quarto, com a camisa do Manchester quase reluzindo em seu peito, com suas golas brancas levantadas como se sua enormidade não coubesse nem no uniforme. Nas palavras do próprio ele não “é um homem, é Cantona”, com ares de super-herói e tudo.

O ex-jogador aparece ali para lembrar o quanto as vezes tanto o futebol, quanto qualquer outra coisa na vida são ditados por regras básicas, nesse caso metáforas deliciosas, principalmente sobre o esporte, que fazem o outro Eric perceber que ainda tem tempo de arrumar seus erros do passado, já que para ele o jogo ainda não acabou.

Mas talvez a grande sensibilidade do filme venha quando você descobre que todo esse esforço de se encontrar e se preparar para ser uma pessoa melhor venha para ajudá-lo em um drama familiar verdadeiro e bem menos inofensivo que a procura por seu verdadeiro amor, como se Ken Loach parecesse resolvido a fazer uma história pertinente travestida de uma comédia romântica com um background de futebol, uma mistura que se mostra equilibrada e funciona perfeitamente. Ainda aposta na dinâmica perfeita entre os dois Erics, um vivido pelo próprio astro do futebol, seguro e engraçado de um jeito minimalista e quase cínico e o outro por Steve Evets que encara perfeitamente toda fragilidade do protagonista.

A Procura de Eric teria todas ferramentas para cair em um riso fácil, mas toma o caminho mais difícil e se torna um drama interessante e cheio de vida, daqueles que te ajudam a olhar para frente e ver esperança.


Lookin for Eric (GB/Bel/Fra/Esp/Ita, 2009) escrito por Paul Laverty dirigido por Ken Loach com Steve Evets, Eric Cantona e Stephanie Bishop


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.