A Primeira Tentação de Cristo | É pavê…


Já virou tradição de natal o grupo de comediantes do Porta dos Fundos, em parceria com o serviço de streaming Netflix, lançar no final do ano mais uma revisita bem-humorada ao clássico dos clássicos (pelo menos para o cristão). E em A Primeira Tentação de Cristo há mais um divertido estudo de personagens, que provoca tanto os mais dogmáticos quanto os mais “heteroflexíveis”.

A historieta de menos de uma hora de duração é sobre o aniversário de 30 anos de Jesus, momento em que seu pai, seu verdadeiro pai, Deus (Antonio Tabet), irá revelar sua paternidade. Toda a brincadeira do roteiro escrito por Fábio Porchat e Gustavo Martins gira em torno das escolhas divinas de Jesus, a nova divindade que será finalmente revelada. O que significa entrar para a patota formada por Buda, Shiva, Alá (em uma divertida aparição) e até o deus do Tom Cruise (outra divertidíssima aparição).

O humor do Porta sempre girou em torno de pegar temas delicados e mundanizá-los até o nível de escracho, e com isso vêm à superfície uma humanidade que aproxima as pessoas. É esse o humor que une em vez de dividir, e por mais que religiosos fanáticos discordem, os trabalhos do grupo que giram em torno de cristianismo é uma senhora propaganda à religião que seguem, pois não denigre as imagens sagradas, mas apenas atualizam e rediscutem as figuras históricas sem alterar seus valores sob a ótica do homem comum contemporâneo.

É por isso que é engraçado o contraste entre a ótima Evelyn Castro (repare o embate entre ela e o amigo de Jesus, interpretado por Porchat), que faz a sempre pura (pelo menos nos livros) Maria, e a periguete que um dos reis magos “traz para o rolê”, interpretada pela eficiente Thati Lopes, que poderia fazer uma versão de Maria Madalena como protagonista e segurar a bronca. Claro que todos esses atores e atrizes são ótimos em fazer rir, pois são comediantes conduzidos pelas infinitas sacadas da mente dos roteiristas do Porta. Mas, além disso, há aqui e ali momentos que permitem enxergamos um pouco do talento de timing desses profissionais.

Note, por exemplo, Gregório Duvivier como Jesus Cristo. Suas já batidas feições de ingenuidade ou “introspecção emo” são perfeitas para um Jesus que está em uma fase de auto-descoberta, que passou 40 dias no deserto explorando sua sexualidade com seu amiguinho e que agora precisa voltar para casa e enfrentar os desafios da fase adulta, como ser o dono do mundo, por exemplo. Duvivier aqui, assim como todo o elenco, não cria personagens, mas são os fios condutores para releituras nada sagradas das histórias que como cristão aprendemos a venerar, mas como seres humanos entendemos que há um fundo de humor em cada uma delas (minha preferida é a do burro falante, em outra parte dos evangelhos).

A Primeira Tentação… é um trabalho teatral filmado com pomposidade por uma equipe que está cada vez mais afiada, onde o uso de luzes azuis e vermelhas nas mãos dos atores é o tipo de detalhe divertidíssimo de observar, pois diz muito sobre a união entre produção técnica e artística. Sua virtude é não fazer humor apenas para atacar figuras religiosas, mas unir as diferentes formas de ser humano que possa existir. É um hino de amor a todos, que estão perdoados de seus ódios em 2019 com política, futebol e religião, temas que apenas dividem e que precisam ser abordados com mais humor.

Portanto, esqueça os extremos, e foque no seu coração. Que você, caro leitor, tenha um ótimo natal e um excelente ano-novo. E que consiga passar essa virada sem ninguém fazer a piada do pavê. Será que conseguiremos quebrar essa tradição?


“A Primeira Tentação de Cristo” (Bra, 2019), escrito por Fábio Porchat e Gustavo Martins, dirigido por Rodrigo Van Der Put, com Gregório Duvivier, Fábio Porchat e Antonio Tabet, Evelyn Castro, Thati Lopes, Diego Portugal.


Trailer – A Primeira Tentação de Cristo

22 Comments

  1. Gostava do Netflix
    Mas uma aberração dessa, medíocre e sem graça que eles chamam de comédia, propagação de religião, respeitoso e humanizado, é tão drástico que seja a ser cômico.
    Adios demônios

  2. o Porta tem todo meu amor! Respeito total à liberdade e ao humor, principalmente com tabu que nem religião. Cholem mais amigossss

  3. ABERRAÇÃO, AFRONTA, OFENSA, BLASFÊMIA. VCS NÃO TEM A MENOR NOÇÃO DO QUE ESTÃO FAZENDO. VCS SÃO AQUELES MESMOS ANTI-CRISTOS QUE CONDENARAM O CRISTO À CRUZ. COMO OUSAM ZOMBAR DE DEUS E DO CRISTO? TETRAPLÉGICOS MORAIS E ESPIRITUAIS!
    Citar Tweet

  4. Numa democracia laica a expressão cultural deve levar em conta os aspectos religiosos de um povo. O desrespeito fere a constituição, sendo motivo de ser penalizado pela justiça e a sociedade. Crer ou não crer é individual. Precisamos, sempre, respeitar, independente de credo, raça, sexualidade ou opção política.

  5. Queria ver se são tão “machos” para fazerem a “PRIMEIRA TENTAÇÃO DE MAOMÉ”. Não tem nada a ver com crer ou não crer é uma questão de respeito ao próximo e coerência social humana.

  6. Dizer que os Beatles e o engenheiro do batle Mouche desafiou a Deus e o resultado todos já sabem . Também serve para essas pessoas repensem a respeito de brincarem ou zombarem com as coisas sagradas. O castigo vem. E não tarda.

  7. Na verdade, não vou criticar o cidadão que fez essa aberração, até mesmo por que nem critica ele merece, além de ser pobre de cultura e educação em respeito ao próximo esse cidadazinho não tem intelecto o suficiente para criar ou produzir nada a não ser esculachar a história real, o dia em que ele tiver no mínimo 1% de criatividade e respeito quem sabe ele sera capaz de produzir algo que realmente valha a pena, até comecei a assistir, porém ao ver que os babaca estavam desrespeitando mina fé, minha crença eu apenas ignorei. Fiz a mesma coisa que faço quando vou ao vaso sanitário do descarga e a bosta vai pra foça assim fiz com essa pseuda obra mandei pra foça e é até com uma certa dor no coração afinal a dica ainda é um ligar muito limpo perante essa M… Bom fica assim enquanto uns resolvem fazer algo que preste outros fazem porcaria, na minha casa e na minha mente não entra porcaria. Todavia vi ele dizendo que iria se acertar com Deus, mas ele sendo ateu acredita em Deus, não se acreditasse tinha apenas um pequeno senso de respeito e temor, mas vida que segue e essa merda fica pra traz. Somente a justiça do grande Deus que virá com certeza, afinal com Ele não se brinca.

  8. Esses atores, produtores e demais, nunca souberam o que é fé, o que é religiosidade. Sao uns ateus e aproveitadores das coisas sagradas dos outros. Para sorte deles estão no Brasil, um povo de paz,. Será que gostariam que alguém fizesse uma paródia de mal gosto envolvendo seus pais ou familiares. Mexer com os valores dos outros é muito fácil. Duvido que tenam coragem de mexer com Maomé ou algo dos mulçumanos por exemplo.

  9. Tropa de cachorredo ja não basta aguentar o lixo da rede globo que propaga manipulando o povo com o errado e suas imundícias de prostituição fabio vc vai arder no inferno com o patrão de vcs o diabo juntamente com essa tropa de vagabundos que não tem o que fazer vão a certaras contas é o fim dos tempos mesmo de Deus não se zomba no inferno vão se lembrar das suas imundícias e zombarias a justiça vira.

  10. Podem fazer, mas a Netflix não receberá meus R$32,90 a partir deste mês. Desrespeitoso.
    No motivo do cancelamento coloquei:
    Fizeram a primeira tentação de Cristo. Não quero que lancem a segunda. Vou para o PrimeVideo.

  11. Gostaria de ver se essa turma é macho mesmo! Próximo ano faça o mesmo enredo mas com Maomé, ai sim. Quero ver se tem coragem?????????????????????????

  12. Esse porchat ficou babaca igual o gregorio, dois imbecis que acham que debochar da religião dos outros é normal. Nao precisa acreditar em Deus, mas respeitar é o minimo que se espera de alguem decente… E ainda quer fazer graça tentand ose defender. Um boçal escroto

  13. Uau, todo mundo no inferno é? kkkk….. preferiria todo mundo lendo, estudando, se informando, deixando de comer capim, mas né…. opção deve ter liberdade.

  14. Tacyanno pelo amor de deus não assista! Você já se provou chato pra caralho, vai ser um verdadeiro inferno ter você lá no inferno.

  15. Propaganda da religião? Não difama os símbolos sagrados? Provavelmente quem está dando essa opinião não tem nenhum viés da crença e não sabe o que está dizendo, nem lugar de fala essa pessoa possui. Uma coisa torna-se ofensiva quando alguém é ofendido, não se sua “opinião” diz ou não se está certo. O racismo começou quando um negro se sentiu ofendido, não quando um branco se tocou que era errado.

  16. Todos que fizeram parte deste filme vão para o INFERNO! E quem assistir também! E a Netflix também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.