À Beira do Abismo

Seria impossível não achar interessante a premissa de À Beira do Abismo, o que se faz com ela é que determina então o desastre que o filme acaba se tornando.

Tudo começa com um plano mais que comum de Manhattan em toda sua enormidade, logo, somos apresentados a um homem misterioso que dá entrada em um hotel e, na sequência, acaba saindo para o parapeito do mesmo. Infelizmente para todo cinema, o que o diretor Ager Leth e o roteirista Pablo F. Fenjves fazem é acabar com todo suspense e tensão desse começo promissor.

À Beira do Abismo vai então em busca de um flashback para apresentar o “suicida” como um ex-policial, agora detento, Nick Cassidy (Sam Worthington) que acaba fugindo do cárcere, já que, obviamente, como em um bom (ou mal) thriller desse tipo, ele afirma ser inocente.

Mas À Beira do Abismo tem sua premissa interessante não por esses dois fatores, mas (e aqui vem um Spoiler para quem não viu o trailer!) sim pela reviravolta que a trama dá quando, na verdade, essa tentativa de suicídio é apenas uma distração para que, do outro lado da rua, o irmão de Cassidy (Jamie Bell, aquele de Billy Elliot) invada o prédio do mesmo ricaço (um desperdiçando Ed Harris) que acusou o protagonista de roubo, isso, em busca de algo que prove a inocência do irmão. (fim do Spoiler!).

E se com essas duas tramas o filme poderia decolar nesse suspense paralelo, À Beira do Abismo então prefere acabar com qualquer surpresa, já que perde a oportunidade de manter todas essas ligações entre as tramas de modo anônimo enquanto eleva o suspense da história. Em um esforço enorme para ser descartável e despretensioso, À Beira do Abismo quer mesmo é acabar logo com tudo isso e partir para uma perseguição final e um confronto com o vilão.

A produção talvez sofra com uma preguiça de ser mais que um “filminho” qualquer, já que, sem dúvida, irá surpreender muitos com as verdadeiras intenções da trama, mas ao ver essa reviravolta passar, não tem o poder narrativo de fazer nada a não ser ver seu ritmo despencar. Durante a maioria do tempo ele não consegue sair dessa métrica chata e repetitiva, onde o protagonista fica ali parado no parapeito sem correr riscos enquanto (evitando Spoilers) a outra linha narrativa se arrasta para um final previsível.

Para completar o cenário pouco empolgante, À Beira do Abismo ainda não percebe o quanto toda sua veracidade acaba atrapalhada pelo roteiro sem rumo. É impossível entender por que o protagonista finge não conhecer um dos outros personagens mesmo quando os dois estão sozinhos dentro de um quarto, como se tentasse enganar o próprio espectador, que ainda é obrigado a engolir uma série de ações que só funcionariam graças a uma artimanha quase cínica do destino, já que, não poucas vezes (o que irrita um pouco em certo momento) seus personagens escapam “raspando”, ou naquele famoso último segundo, de algo que colocaria fim a todo plano (sem contar o final exagerado e que não cabe nem por um segundo dentro da “veracidade” proposta).

A direção de Lenth ainda falha, e provavelmente decepciona, todos no cinema, pois pouco explora um dos verdadeiros atrativos visuais do filme, afinal, de cima de um parapeito a sensação de vertigem só criaria uma identificação maior com o público. Aqui ela parece meio esquecida diante de uma câmera mais interessada na atuação sempre fraca de Worthington (que só não é pior já que, boa parte de seu tempo, acaba contracenando com a pouco expressiva Elizabeth Banks). Falta então percepção artística, tanto para envolver melhor o filme em um pacote mais visual, quanto para perceber que a dinâmica entre Bell e sua namorada, a morena Genesis Rodriguez, e muito mais divertida e interessante que aquele papo sem graça nas alturas.

Mas ainda assim, cheio de buracos e falhas, desperdiçando o visual e sem coragem para tornar sua estrutura mais surpreendente, À Beira do Abismo é tão descartável e sem ambições que quase não deve chatear. Quase.


Man on a Ledge (EUA, 2012) escrito por Pablo F. Fenjves, dirigido por Asger Leth, com Sam Worthington, Elizabeth Banks, Jamie Bell, Anthony Mackie, Genesis Rodriguez, Ed Harris e Edward Burns.


trailer de À Beira do Abismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.