11-11-11

por Vinicius Carlos em 13 de Novembro de 2011

11-11-11 Filme

É impossível negar que qualquer coincidência numérica relacionada a datas dá sempre pano para manga, com essa sensação de que tamanha repetição de número abrisse uma porta para mais que simples explicações céticas, e todo mundo sabe o quanto a humanidade está sempre à procura de um detalhezinho místico ou outro para apimentar toda realidade chata. 11-11-11 vai com tudo na direção disso, mas só não vai direto para as prateleiras (virtuais ou não) das locadoras por que lançá-lo nos cinemas nessa sexta-feira, dia 11 de novembro de 2011 é tentador demais.

Diante dessa propaganda de graça, sobrou ao pouco interessante Darren Lynn Bousman, (ir)responsável pelo segundo, terceiro e quarto Jogos Mortais, escrever e dirigir qualquer coisa que tivesse essa data como ponto central de sua história. Por isso, é besteira desconfiar que o resultado fizesse sentido.

11-11-11 então é sobre esse escritor que perde a mulher o filho em um incêndio e, depois de sofrer um acidente de carro onde sai ileso, acaba indo visitar o pai e o irmão que moram em Barcelona. Na verdade, o primeiro é um velho fantasmagórico que adora surgir furtivamente por trás dele (vulgo susto) e o segundo é um pastor com uma igreja de fundo de quintal (literalmente).

A combinação de números aparece então quando ele acaba dando de cara com ela a todo tempo, no relógio, no relógio e, enfim, no relógio (o roteiro força mais algumas, mas nenhum tem realmente a ver com a trama). É lógico que tudo isso acaba acontecendo a poucos dias do dia 11 de novembro de 2011, e ele acaba descobrindo que, na verdade, esse monte de “uns” abrirão um portal que promete colocar em perigo eles todos.

Bom, no resto do tempo Bousman surge com umas figuras sinistras e encapuzadas espreitando pelos cantos dessa casa escura enquanto… bom, enquanto eles esperam chegar o fatídico dia que dá nome ao filme.

É preciso dizer que, bem lá no fundo (fundo o suficiente para ninguém nem reparar) 11-11-11 tem essa vontade de ser um filme de terror satanista (e pessimista), daqueles que povoaram os anos 70 e 80 com maquiagens diabólicas e a impressão que de que, no final das contas, o bem nem sempre vence o mal, mas tudo isso é bem escondido mesmo, já que o que transparece é apenas uma sequência monótona de sustos repetitivos e personagens que não parecem fazer a mínima ideia do porque de estarem lá.

Isso pode parecer exagero, mas não é, 11-11-11 não tem nenhum desenvolvimento que não beire uma enorme preguiça narrativa. Joseph Crone (o protagonista) tem sua família morta por um fã, para mostrar o quanto esse personagem é amargurado e sem fé, já que durante todo percurso do filme esse sentimento pouco o motiva a nada, já que essa, suposta, ausência de fé o faz, ironicamente, tratar todos os acontecimentos do jeito menos ateu possível e, em pouquíssimo tempo, já está até o pescoço com uma ladainha cristã e sem sentido, sobre portais, demônios etc.

11-11-11 Filme

Do outro lado, seu irmão (vivido por Michael Landes, talvez a única cara conhecida de todo elenco, tendo trabalhado em Premonição 2), mesmo sendo um pastor de uma religião pouco ortodoxa, parece lutar com unhas e dentes para acreditar na existência disso tudo. Duas soluções que refletem esse tom maquiavélico de Bouman, afinal, os fins justificam os meios, e esses não precisam fazer muito sentido.

11-11-11 é formado por essas desculpas, como levar a ação em Barcelona, para aproveitar de sua estética gótica (e até dar uma névoa londrina para a cidade espanhola, já que o que seria de um filme de terror sem essa fumaça branca!), ou colocar os dois para “passearem” por um cemitério depois que um deles se cansa da casa e “precisa ir para algum lugar”, e pior, não é capaz de colocar nem um sustinho sequer entre esses mortos espanhóis.

Em um resumo frio, 11-11-11 muito provavelmente só existe por causa dessa data curiosa e da possibilidade de ser lançado no mesmo dia, mas, não deixa dúvidas que poderia chamar 21-02-81, 06-06-66 ou 24-qualquer outro número e de jeito nenhum teria uma história com sentido para contar, muito menos para assustar e fazer qualquer coisa para não seja ser esquecido logo que entram os créditos finais.


11-11-1111-11-11 (EUA/Esp, 2011), escrito e dirigido por Darren Lynn Bousman com Timothy Gibbs, Michael Landes, Denis Rafter e Wendy Glenn


e não esqueça de seguir @cinemaqui no twitetr e curti a página do Cinemaqui no Facebook

8 Comments

  1. esse filme é orrivel qual e a moral do fime pq eu fui ver se eu soubesse que era tao ruim nem teria visto,que merda de filme………………..

  2. Filme TRASH!!!! Sem pé, sem cabeça!!!! Uma merda!!! Não vi terror nenhum!!! Joguei dinheiro fora!!! No final do filme comecei a rir de raiva!!!

  3. Filme parado, sem história que prenda atenção, você quer sumir da frente da tela praticamente em todo filme porque o filme todo enrola pra explicar uma coisa que poderia ser facilmente explicada , fica na mesmice o tempo todo , você começa ficar tão irritado que até nos poucos momentos que algo acontace você ja nem ta mais com paciencia pra ver, e os sustos são repetidos e todos iguais, que ja não vai mais te assustar depois da primeira vez. Bom resumindo esse filme e estressante, e poderia ser resumido em 11 minutos que não perderia nada de importante!

  4. Sinceramente, toh axando que foi soh que não entendi o filme, ou ele eh assim mesmo sem nexo? As coisas acontecem sem um por quê? Alguém poderia me informar a moral do filme?

  5. Alguem sabe por que diabos aquela mulher sair desesperada para pegar as fotos antes das 11:11 pra depois queima-las?? Mas o filme nem é de todo ruim!

  6. nao é possivel. q esse filme seja tao ruim desta forma. eu q criei tanta espectativa sobre esse filme . aff. mais uma decepção cinematografica .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.