Top 10 – Filmes de Terror “Trintões” (especial halloween)


Como é tremendamente difícil fazer uma lista de Halloween com algo mais que “os melhores filmes de Terror”, sobra então separá-los por época. E depois de dois especiais com os melhores da última década (um falado em inglês e outro “estrangeiro”), agora é hora de ir atrás das velharias.

Confira então uma lista com os 10 Melhores Filmes de terror que estão na “Casa dos 30” e que, sem sombra de dúvida, servem de inspiração até hoje… além de assustarem muito mais que seus “parentes atuais”.


Suspiria (idem, 1977, Dário Argento)

Vá lá, Suspiria não é nenhum primor em termos de efeitos especiais, muito menos Argento é um diretor inspirado (em termos técnicos), mas aqui isso tudo resulta em um daqueles filmes perturbadores em que o diretor sempre faz questão de mostrar mais um pouquinho além do devido do gore ou daquele momento em que você sabe que vai acontecer alguma coisa. Suspiria ainda conta com a inquietante trilha sonora criada pela banda Goblin e que arrepia até os ossos nesse pesadelo colorido e onírico.


O Despertar dos Mortos (Dawn Of The Dead, 1978, dir. George A. Romero)
Já fazia uma década que Georg A. Romero tinha, praticamente, criado um gênero com seu A Noite dos Mortos Vivos, então, a solução agora era… revolucionar o próprio gênero. Para isso, o jeito mais simples era mostrar que em um apocalipse zumbi o mais perigoso de tudo continua sendo o próprio Homem. Além de lembrar a todos que, se você respondia que diante do fim do mundo o que você iria querer é acabar em um Shopping Center, talvez a ideia não fosse assim tão interessante.


Halloween (idem, 1978, dir. John Carpenter)
Pode se dizer que o primeiro maníaco a matar jovens que estava no lugar errado e na hora errada foi Leatherface e sua família de canibais em O Massacre da Serra Elétrica, mas também não há dúvidas que o primeiro a fazer o mesmo, mas com estilo, foi Michael Meyers. Na verdade, mais até que o O Massacre…, Halloween definiu o estilo e obrigou todos outros assassinos seriais/imortais da história do cinema que vieram depois dele a terem uma roupa bacana, uma mascara estilosa e personalidade.


Alien (idem, 1979, dir. Ridley Scott)
É lógico que Alien entraria em um monte de listas (Melhores ficções científicas, suspenses, vilões, heroínas, filmes), mas nem por isso o exime de estar naquela que mais ele se sente confortável, já que, por definição, Ridley Scott foi lá atrás beber em O Monstro do Ártico, assim como olhou com carinho para O Massacre da Serra Elétrica (além de Dark Star e muitos outros) e jogou tudo isso onde “ninguém iria ouvir você gritar”.


O Iluminado (The Shinning, 1980, dir. Stanley Kubrick)
Stanley Kubrick resolveu então filmar seu “filme de terror”. Pegou um livro de Stephen King, jogou fora metade dele, usou o que bem entendeu e acabou com um clássico perturbador que coloca essa família em um hotel “aparentemente” vazio, com Jack Nicholson correndo atrás da esposa e do filho com um machado, gêmeas fantasmas, um certo quarto 237 e mais um punhado de cenas que ficaram para o a posteridade.


Lobisomem Americano em Londres (An American Werewolf in London, 1981, dir. John Landis)
Talvez muita gente possa até não achar que Lobisomem Americano… seja lá um terror tão puro, já que tem algumas boas doses de humor, mas ainda assim, é um dos poucos momentos que o cinema conseguiu recontar a história clássica do lobisomem de um modo sincero e profundo. Além de fazer o espectador entender e sofrer com o rumo do personagem, John Landis e Rick Baker ainda definiram para as gerações futuras como alguém se transforma de homem em lobo (até o Crepúsculo vir e estragar tudo).


Morte do Demônio / Uma Noite Alucinante (Evil Dead, 1981, dir. Sam Raimi)
Evil Dead foi feito com quase nenhum dinheiro, seus atores eram ruins (Bruce Campbell é o rei na canastrice) e a história era absurdamente simples, mas Sam Raimi, ainda assim, mudou os rumos do gênero em um filme onde nenhum personagem está livre de se tornar o vilão e nenhum herói é páreo para o tal demônio, nem tampouco consegue sair ileso. É lógico também que é fácil rir de uma ou outra passagem do filme, mas o ritmo, as corridas em 1° pessoa pelo meio da floresta e a crueldade com os personagens ainda hoje é copiada por muitos, mas nunca alcançada.


O Enigma de Outro Mundo (The Thing, 1982, dir. John Carpenter)
Se parecia impossível juntar uma equipe em um lugar fechado e um monstro espacial para trucidá-los, sem parecer uma cópia de Alien, era por que, justamente, o filme de Ridley Scott já tinha bebido na fonte de um certo O Monstro do Ártico, de 1951. Acontece então que John Carpenter resolveu refilmar o clássico e o resultado é um terror inquietante, com algumas das criaturas mais nojentas que o cinema já viu, uma história empolgante e uma trilha sonora de Ennio Morricone que te afunda na poltrona do primeiro ao último segundo de filme.


Poltergeist (idem, 1982, dir. Tobe Hooper)
Se O Massacre da Serra Elétrica permitiu que Tobe Hooper fizesse a besteira que quisesse durante a década de 70, Poltergeist deixou então que ele, até hoje, sobrevivesse à custa desses dois momentos. E não sem merecimento, já que criar um verdadeiro filme de fantasmas e, o melhor, sem qualquer tipo de vilão (já que são fantasmas) é para poucos, e Hooper fez um filme que ainda nos dias atuais mata muita gente de susto e coloca em prova o silêncio e o escuro de sua casa ao seu final.


Hora do Pesadelo (A Nightmare on Elm Street, 1984, dir. Wes Craven)
Se Leatherface era uma maquina de matar, Michael Mayers o fazia sem o menor arrependimento e Jason era carregado por um óbvio Complexo de Édipo, era hora de alguém fazer isso por prazer, e eis que surge Freedy Krueger com sua luva de lâminas. Suas mortes eram mais intensas, seu senso de humor era mais caótico e, ainda por cima, Wes Craven decidia que, nem sempre em um filme de terror a vítima tem alguma chance de leva a melhor no final das contas.

Confira também os Especiais Melhores Filmes de Terror da Década (inglês) e Melhores Filmes de Terror da Década (não Inglês)

Outros artigos interessantes:

2 Comments

  1. Sinceramente nunca vi essa cena. Mas, por favor, quem puder ajudar o Ronney… Vou dar uma procurada nessas referências ai que você passou e se encontrar algum nome volto aqui e te mando o nome.

    abraços

  2. Gostaria que você me ajudasse a identificar o nome de um filme que assisti na TV no
    ano de 1979.

    Passou à noite e o que me lembro das cenas é o seguinte:

    O personagem do filme entra em uma caverna ou gruta e dentro dela tem
    um ar sinistro. O chão está cheio de uma névoa e o personagem vai caminhando dentro
    desta gruta
    e se aproxima de uma figura mais parecendo um samurai mumificado
    e que está de pé. A camera focaliza a cabeça raspada deste samurai, neste momento
    o personagem do filme vê um camaleão ou algo parecido subir no ombro deste
    homem mumificado. O personagem então começa a rodea-lo. A camera então vai
    rodeando o rosto do homem mumificado para mostrar o outro lado da face do homem
    (tipo uma múmia) quando começa a aparecer o outro lado do rosto do homem
    mumificado o personagem
    começa a ver que o outro lado da face do homem só tem ossos. Olhando de um lado
    é um rosto com pele mas vendo do outro lado é um rosto sem pele. Só me lembro
    destas cenas. Não sei se mudei de canal. Creio que estava passando na Globo.

    Na época eu estava com uns 13 anos de idade. Na Globo e na TV Tupi passava
    desses filmes à noite. Se pela descrição da cena acima você conseguir identificar
    o filme ficarei grato.
    Mande a resposta pra mim!

    e-mail: ronneymattos@yahoo.com.br

    Abraços.

    Ronney

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *