Dirigindo pela primeira vez um filme falado em inglês, o diretor Park Chan-wook, responsável pela cultuada Trilogia da Vingança (que inclui o celebrado Oldboy), busca agora conquistar o disputado mercado americano. Para isso, ele conta com bom elenco e uma segredos-de-sangue-posterhistória surpreendente em Segredos de Sangue.

O filme conta a história de India Stoker, uma jovem tímida e introvertida, que vê sua vida virar de ponta-cabeça quando seu pai morre em um acidente de carro no dia em que ela completa seus 18 anos. Vivendo agora com sua sempre distante mãe, India tem que lidar com a presença de seu estranho e misterioso tio, de quem nunca havia ouvido falar até então, e que, após o enterro de seu pai, decide permanecer com elas por algum tempo.

Criando todo o clima de suspense e mistério com uma habilidade ímpar, Park usa de vários artifícios para deixar o espectador sem saber o que há por vir. Os sons diegéticos vindo de elementos fora do campo de visão (inclusive incluindo conversas com personagens que não estão na tela) aumenta o tamanho da tela percebida, intensificando assim a sensação de estarmos dentro do filme. Algo ainda mais vantajoso aqui por se tratar de um thriller psicológico. O retrabalho feito (digitalmente) nos olhos dos atores quando vistos de frente, dá um ar sobrenatural aos mesmos, mas sem evidenciar do que exatamente se trata. Até mesmo a época em que o filme se passa é completamente incerta até o final do primeiro ato, quando o tio de India revela o ano em que ela nasceu, 1994. E falando no tio, ele é o maior mistério de todos. Desde sua aparição repentina, passando por seu sorriso absolutamente arrepiante e culminando com sua decisão de ficar na casa de seu irmão recém-falecido com o qual há décadas não tinha contato algum. Tudo é feito para que o espectador saiba que nada sabe. O que o tio quer? Ele é realmente quem diz ser? O que ele é?

Todas essas perguntas são respondidas à base de muito sangue. E, mesmo fazendo uso de pouco gore, o filme conta com cenas absolutamente assustadoras, com destaque para a primeira aparição do cinto. As conexões entre tio e sobrinha então vão ficando cada vez mais evidentes, mas nunca permitindo que o desenrolar da trama se torne previsível ou que o filme deixe de ser chocante e tenso até o apagar das luzes.

Segredos de Sangue Filme

As atuações também são algo que merece muito destaque. A jovem Mia Wasikowska faz um trabalho bastante eficiente ao nos apresentar a uma India completamente contida e fechada no início e que vai se soltando ao longo da projeção. Já Nicole Kidman oferece mais uma de suas atuações no piloto automático, não chegando a comprometer a produção em nenhum momento, mas por estar ficando cada vez mais raro vê-la se entregar de corpo e alma a um papel. Entretanto, o destaque mesmo vai para Matthew Goode. A composição de seu Charlie Stoker com uma fachada de galã simpático, versátil, culto e muito bem-educado, mas ainda assim deixando transparecer por uma pequena fresta o seu lado demoníaco é fundamental para que o filme e toda a construção do suspense na primeira metade do longa funcionem.

O prazer demonstrado por ele em seus atos é algo que o torna ainda mais aterrorizante e essa ligação entre prazer e dor é, sem dúvida, um dos pontos centrais da trama. O ápice disso, no entanto, vem em uma cena protagonizada por India, quando ela está no chuveiro recordando de eventos que acabaram de transcorrer. Uma das melhores cenas do longa e, talvez, uma das mais marcantes do ano no cinema.

Sempre apresentando belas e inventivas tomadas e transições em sua filmografia, Park mais uma vez oferece um grande trabalho na composição das cenas e na edição deste seu mais recente projeto, com destaque para as deslumbrantes sequências de abertura e encerramento do filme.

Assim, Park Chan-wook mostra ser capaz de dar origem a grandes obras, independentemente da língua com a qual estiver trabalhando, e adiciona aqui mais uma joia a seu currículo já cheio de pérolas. Se ele será aceito pelo público mainstream ou não é algo que teremos que esperar para saber, mas com tantos diretores estrangeiros medianos se estabelecendo em Hollywood, esta, sem dúvida, seria uma adição muito bem-vinda.


Stoker, escrito por Wentworth Miller e Erin Cressida Wilson, dirigido por Chan-wook Park , com Mia Wasikiwska, Nicole Kidman e Matthew Goode


Trailer do filme Segredos de Sangue

Outros artigos interessantes:

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.