Promessas de Guerra é o debut de Russel Crowe no cinema. Para uma primeira vez, o projeto ambicioso – um drama de guerra – poderia ser demais, mas, surpreendentemente, Crowe funcionaPromessas de Guerra Poster de forma bastante eficiente. A narrativa foge do lugar-comum dos filmes de guerra, abordando de forma empática ambos os lados de um conflito para mostrar que nesse tipo de situação, não há reais vencedores.

Um filme que trata a guerra como perda, o que traz uma reflexão interessante. O problema é que isso não é aprofundado e é aí que a inexperiência de Crowe na direção aparece.

A produção conta a história do fazendeiro Joshua Connor (Russell Crowe), cujos três filhos não voltaram da batalha de Galipoli. Tomada pelo luto, a esposa de Connor comete suicidio e este é o gatilho para o fazendeiro ir em busca de respostas sobre os filhos. Chegando na Turquia, Connor se hospeda no hotel da viúva Ayshe (Olga Kurylenko), cujo marido também não voltou da guerra. Connor consegue chegar a Galipoli, burlando as ordens do exército inglês e, lá, o Major Hassan (Yilmaz Erdogan), ex-líder do exército inimigo, empatiza com o sentimento de Connor. A partir daí, Hassan passa a ajudar Connor, que não sairá da Turquia sem seus filhos.

O trunfo de Promessas de Guerra são as diversas perspectivas sobre um mesmo conflito e o modo como os sentimentos convergem a um ponto comum: os países podem ganhar, mas pessoas apenas perdem. Uma narrativa mais desenvolvida com essa ideia em foco, com profundidade em cada história de perda daria uma complexidade deliciosa ao filme. Mas Crowe peca ao colocar uma trama romântica pouco convincente com maior destaque do que as perdas e apenas pincelar o assunto, deixando o espectador com expectativa de algo mais profundo que nunca chega.

Promessas de Guerra Crítica

Apesar da narrativa escorregar, as atuações merecem destaque. Russell Crowe faz um protagonista contido, com emoções expressas de maneira sutil: na maior parte do tempo, o ator mostra tudo com os olhos, o que funciona perfeitamente com a história e define bem a personalidade de seu Joshua Connor. Outra surpresa mais do que agradável é Yilmaz Erdogan. Fiquei pasma ao descobrir que o ator é conhecido pela comédia. A intensidade da atuação dele como Hassan é de arrepiar, conseguindo passar ainda mais força do que Crowe nos movimentos mais sutis.

A única decepção é Olga Kurylenko. Com uma personagem que poderia apresentar várias dimensões, a atriz entrega uma performance plana, que, especialmente contrastada à qualidade de seus colegas de elenco, fica ainda mais monótona.

Promessas de Guerra é um filme bom, envolve, traz belas atuações e uma trama que provoca. É bom mas poderia ser melhor.


“The Water Diviner” (Austrália, EUA, Turquia) escrito por J. Andrew Knight, Andrew Anastasios, dirigido por Russell Crowe, com Russell Crowe, Olga Kurylenko e Ylmaz Erdogan.


Trailer – Promessas de Guerra

Outros artigos interessantes:

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.