Polícia em Poder da Máfia estreou nos Estados Unidos e não fez muito sucesso, mesmo com o elenco estelar e um diretor interessante. Já no Brasil, acabou chegando acanhando em um sábado a noite na HBO, na verdade um destino bem coerente com seu tamanho. E não que o canal seja pequeno (não é!), mas o que vemos no resultado final é um telefilme qualquer.

Pensando bem, até para a HBO, Polícia em Poder da Máfia é pouco, e muito provavelmente se não tivesse esse monte de gente famosa na sinopse, nem por lá ele estaria. O que nos leva a uma dúvida: ou o “verdadeiro filme” ficou no chão da sala de montagem, ou mais ninguém lê os roteiro em Hollywood antes de aceitar os trabalhos (ou algum produtor executivo ou diretor tem muita gente devendo favores para eles).

De qualquer jeito, curiosamente, nas mãos de um bom diretor, ou pelo menos de um roteirista mais competente para fazer um segundo tratamento no texto final, Polícia em Poder da Máfia teria sido um sucesso nos cinemas do mundo inteiro.

E a trama nem de perto é simples e tomaria mais de um parágrafo desse texto. Envolve um grupo de ladrões, policiais corruptos, uma mafiosa russo judaica, um tira honesto novato do distrito e seu cunhado bigodudo e já experiente. Tudo isso embaralhado em um “último golpe” que só vai acontecer com o tal do “triplo 9” do título original: a morte de um policial que vai chamar a atenção para um lado da cidade enquanto eles atacam o outro.

Os indicados ao Oscar Chiwetel Ejiofor e Woody Harrelson estão por lá, assim como os vencedoras da estatueta Kate Winslet e Casey Affleck. Nenhum deles sem fazer nada que preste, com doses de crueldade para Winslet completamente perdida. Mas continuando no elenco, Aaron Paul sai diretamente de Breaking Bad para uma atuação mais apagada ainda, sem contar a “Mulher Maravilha” Gal Gadot que… bom, talvez você nem perceba que ela está lá. Por fim, o astro de The Walking Dead, Norman Reedus, também está lá, assim como o “falcão” Anthony Mackie também, mas também não faz nada.

Polícia em Poder da Máfia Crítica

Enfim, um desastre enorme comandando pelo interessante John Hillcoat que surgiu em Hollywood com o pós apocalíptico A Estrada, mas já viu um outro filme seu com um elenco incrível ser escondido recentemente, Os Infratores. Por sua veze, aqui em Polícia em Poder da Máfia, Hillcoat tem uma direção estabanada, próxima demais da ação, escura e meio se vontade estética de fazer qualquer cena minimamente inesquecível.

Um filme policial com pouca ação, economizando nas balas e que acredita única e exclusivamente em um trama que só eles acham interessante. Pior ainda, em uma opção meio Fogo Contra Fogo, faz um esforço enorme para desenvolver o protagonista ladrão vivido por Ejiofor e esquece completamente que, sem valorizar o outro lado (nesse caso Affleck), você estaria pedindo para o espectador torcer por um cara sem escrúpulos só porque ele tem um filho.

E o texto e Matt Cook vai cometendo várias erros desse tipo enquanto espalha um monte de buracos e conveniências. Harrelson mergulha em um policial alcoólatra com uma gravata de bandeira dos Estados Unidos que chega em todos conclusões com sempre o menor número de provas, a não ser no final, com o cunhado em perigo e dirigindo pelo canteiro central da estrada. Fora um plano tão cheio de possíveis falhas que é impressionante que os ladrões não sejam metralhados antes mesmo de chegar em seu alvo.

Mas de qualquer jeito, assim como os policiais, muitos espectadores também serão enganados pelo elenco, pelo nome chamativo e pelo currículo do diretor, mas se for mais esperto que todos dentro do filme, não embarcará nele com qualquer tipo de expectativa.


“Triple 9” (EUA, 2016), escrito por Matt Cook, dirigido por John Hillcoat, com Chiwetel Ejiofor, Casey Affleck, Woody Harrelson, Kate Winslet, Aaron Paul, Gal Gadot, Anthonie Mackie, Norman Reedus e Clifton Collin Jr.


Trailer – Polícia em Poder da Máfia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.