Os Jovens Titãs Em Ação! Nos Cinemas | Divertido e eficiente

Jovens Titãs em Ação Filme

E não é que a DC sabe rir de si mesma, pelo menos em versão animada? Indo na contramão do estilo sombrio adotado majoritariamente pelo Universo Estendido da DC (a exceção fica por conta de Mulher Maravilha, não coincidentemente a melhor entre as produções lançadas até agora), Os Jovens Titãs Em Ação! Nos Cinemas aproveita de seu público-alvo mais novo e das liberdades proporcionadas pela animação para discutir os filmes de super-herói com muita metalinguagem e humor.

É quase como que uma versão infantil de Deadpool, mas muito mais divertida e eficiente.

Liderados por Robin (voz no original de Scott Menville), o time dos Jovens Titãs é formado por Ravena (Tara Strong), Estelar (Hynden Walch), Ciborgue (Khary Payton) e Mutano (Greg Cipes). Apesar de terem poderes diversificados — Mutano transforme-se em qualquer animal, Ravena é capaz de criar portais e Estelar emite raios solares —, eles não são levados a sério nem pelos vilões nem pelos outros heróis. Afinal, o que qualquer herói ou grupo de respeito tem e que falta aos Titãs? Um filme sobre eles!

Mas se os garotos querem chegar às telonas, primeiro será necessário arranjar um arqui-inimigo, que eles encontram na pele do mercenário Slade (Will Arnett). A partir daí, o longa acompanha as tentativas do grupo de convencerem Slade de que eles são páreo para o vilão e os desentendimentos internos do time quando a principal diretora de filmes de super-herói de Hollywood, Jade Wilson (Kristen Bell), decide fazer um longa-metragem solo sobre Robin.

Escancarando seu senso de humor metalinguístico desde o momento em que a cena inicial do filme remete à vinheta dos estúdios Marvel, Jovens Titãs Em Ação! Nos Cinemas aproveita-se muito bem de suas origens como animação voltada a um público mais jovem (caminho adotado pela franquia após sua primeira — e mais madura — série animada, exibida entre 2003 e 2006) para trazer uma abordagem leve e dinâmica ao filme. Isso, eventualmente, significa entregar-se a extensas piadas escatológicas que estão ali exclusivamente para as crianças da plateia, mesmo assim a maior parte das piadas funciona muito bem, como as referências diretas ao McGuffin perseguido por Slade ou a ideia inspirada de trazer Nicolas Cage dublando Superman, o papel que ele quase interpretou na década de 90.

Além disso, é divertido perceber como os diretores Peter Rida Michael e Aaron Horvath — este último, assinando também o roteiro ao lado de Michael Jelenic — inserem alguns momentos verdadeiramente sombrios em meio à explosão de cores e energias. O melhor exemplo disso, é uma das sequências mais divertidas da obra, é a tentativa dos jovens de utilizar viagens no tempo para tornarem-se célebres, inspirados pela declaração de Wilson de que eles só ganhariam um filme “se não houvesse mais nenhum outro herói no planeta”, e que inclui, entre outras gags hilárias e uma releitura bastante peculiar do assassinato dos pais do pequeno Bruce Wayne (e por falar nele, é claro que a questão “das Marthas” é zoada aqui).

Jovens Titãs Em Ação Crítica

No terceiro ato, Jovens Titãs Em Ação! Nos Cinemas perde um pouco de seu fôlego, afinal, esta é uma produção despretensiosa e que não estaria deslocada como um episódio especial da série animada do grupo. Mas, no centro de tudo isso, os cinco Titãs formam uma dinâmica eficiente e estabelecem-se como personagens carismáticos — a empolgação do time diante de suas experiências heroicas faz com que eles entreguem-se a frequentes números musicais. Nesse sentido, Robin é o que mais sofre, já que sua caracterização passa por mudanças um tanto constantes para levar o longa na direção desejada pelo roteiro.

Assim, se o fato de que a busca pela fama vai separá-lo do grupo fica claro desde o início, é cansativo vê-lo desmerecendo ou ignorando seus colegas até aprender sua lição. Pelo menos, Horvath e Michael brincam com isso também, encerrando bem o filme com um bom e velho discurso inspirador para que, como declara Robin, os pais possam conversar com seus filhos sobre as mensagens do filme após a sessão.

Os filmes de super-herói estão apenas começando a perceber que precisam buscar a originalidade e o estilo para não saturarem ainda mais o público. Será que esse risco também vai chegar para os longas que adotam o gênero com altas doses de autorreferências e autodepreciação? É bem provável; mas, enquanto isso não se concretiza, Os Jovens Titãs Em Ação! Nos Cinemas cumpre bem os seus propósitos.


“Teen Titans Go! To The Movies” (EUA, 2018), escrito por Michael Jelenic e Aaron Horvath, dirigido por Aaron Horvath e Peter Rida Michael, com as vozes no original de Scott Menville, Tara Strong, Hynden Walch, Khary Payton, Greg Cipes, Will Arnett, Kristen Bell, Nicolas Cage, Greg Davies, Halsey, David Kaye, Jimmy Kimmel, Patton Oswalt, Meredith Salenger, Dave Stone, Lil Yachty e Wil Wheaton.


Trailer – Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas

Outros artigos interessantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *