Os Incríveis 2 | A família de heróis mais famosa do cinema está de volta

Os Incríveis 2 Filme

É de conhecimento geral que a Pixar passou por uma crise criativa há alguns anos, lançando obras pouco representativas em sua biografia como Valente ou O Bom Dinossauro, sem esquecer algumas continuações pouco inspiradas de alguns de seus maiores sucessos. Em meio a essa “chuva de sequências”, muitos se perguntavam o porquê de Os Incríveis 2 nunca ganhar sinal verde, uma vez que, de todas as obras originais do estúdio, essa era a que mais permitia uma segunda parte. Somente 14 anos depois a demanda foi sanada, de forma bem-sucedida, vale dizer, ainda que não traga nada de novo ao gênero.

Iniciando a ação no exato momento em que a animação original terminou, vemos o grupo de heróis enfrentamos o Escavador e logo percebemos que, apesar de ajudarem a sociedade, o governo ainda não está disposto a estabelecer a “Era dos Heróis” novamente. Com isso, surge Winston Deavor (Bob Odenkirk), um bilionário nostálgico que está disposto a fazer os heróis voltarem aos holofotes. Para isso ele convoca trio Gelado (Samuel L. Jackson), Sr. Incrível (Craig T. Nelson) e Mulher-Elástica (Holly Hunter) para uma ação elaborada de marketing que coloca a terceira integrante como principal símbolo desse retorno. Com a esposa combatendo o crime e a ameaça de um novo vilão, o Sr. Incrível se vê tendo que cuidar dos filhos, Flecha (Huck Milner) e Violeta (Sarah Vowell), ao mesmo tempo em que descobre os novos superpoderes do caçula, Zezé (Eli Fucile).

Com essa premissa, o diretor e roteirista Brad Bird (Missão Impossível: Protocolo Fantasma) acerta em cheio ao abordar temas importantes como o empoderamento feminino. A escolha por mostrar a mulher em papel de protagonismo, conduzindo a ação e os principais eventos da narrativa soa não apenas atual, mas necessário dentro do contexto da sociedade contemporânea. Paralelamente a isso, a obra mostra a dificuldade do homem conservador em se adaptar as novidades que o mundo apresenta a ele, passando por um período duro de adaptação e buscando evoluir. Ao colocar a Mulher-Elástica e o Sr. Incrível nesses papéis, protagonistas de uma animação predominantemente infantil, faz com que a Pixar permaneça pensando a frente de seu tempo ao inspirar uma nova geração de espectadores.

Por outro lado, ao apostar em uma sequência direta das ações do longa original, o filme perde grande parte de seu fator nostálgico. Diferente de obras como Toy Story, por exemplo, em que a passagem dos anos é primordial para que sua narrativa impacte o público que cresceu assistindo àqueles filmes, Os Incríveis 2 traz os mesmos personagens, exatamente do jeito que os conhecíamos 14 anos atrás. Tal escolha faz com que a animação não apresente grandes novidades ou mudanças que surpreendam a audiência. É mais do mesmo, feito de forma muito bem-feita e divertida.

Os Incríveis 2 Filme

Tecnicamente o longa é impecável, evoluindo imensamente os conceitos da obra original. E vale dizer que assistir uma seguida da outra é uma experiência interessante, pois podemos constatar claramente o avanço técnico do estúdio, especialmente no que diz respeito as expressões faciais dos personagens e as animações dos fios de cabelo e penteados. Além disso, o trabalho feito com o personagem Winston Deavor é elogiável, pois traz para a tela as principais características de seu dublador original, Bob Odenkirk (Better Call Sall), para a tela, seja no traço físico ou em seu maneirismo de falar apontando os dedos, por exemplo.

Os aspectos técnicos me fazem querer assistir ao longa novamente, dessa vez com o áudio original, ainda que o trabalho de dublagem e “localização” de piadas da Pixar permaneça afiado. Há uma brincadeira com o estado do Acre que é particularmente genial.

Contando ainda com a maravilhosa trilha sonora de Michael Giacchino (Divertida Mente), que embala praticamente todas as cenas, Os Incríveis 2 empolga por ser tão competente quanto o filme original, mesmo sem expandir o universo da franquia. Fica novamente o gostinho de quero mais, não apenas de assistirmos novamente essa família de super-heróis no futuro, mas também de vermos novos trabalhos do talentoso Brad Bird, um cineasta que merece mais destaque do que vem recebendo atualmente.


“Incredibles 2” (EUA, 2018), escrito e dirigido por Brad Bird, com vozes no original de Craig T. Nelson, Holly Hunter, Sarah Vowell, Catherine Keener, Bob Odenkirk, Samuel L. Jackson, Brad Bird, Isabella Rosselline e Jonathan Banks.


Trailer – Os Incríveis 2

Outros artigos interessantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *