Se existe uma coisa que o terror no cinema tem mais que sustos, assassinos, sangue, psicopatas e monstros é remakes. Seja daquele filme oriental que ficou famoso, seja de algum clássico datado que fez sucessos décadas ou anos atrás.

E não adianta reclamar, faça chuva ou sol, lua cheia ou minguante, uivo de lobisomem ou urro de um vampiro, os terrores continuarão ganhando novas versões para agradar um novo público.

Portanto, pare de lutar contra o inevitável, relaxe e aproveite os melhores remakes que você irá encontrar na Netflix. E não se preocupe, todos eles são melhores ou pelo menos tão bons quanto os original. Portanto, divirta-se.

1) Evil Dead (“Evil Dead”, 2013, dir. Fede Alvarez)
Original – “A Morte do Demônio” (1981)

Evil DeadRefilmar um clássico cult é sempre uma responsabilidade incrível, mas como praticamente todos filmes da lista são clássicos cults do gênero, talvez o diferencial aqui seja seus fãs. Quem gosta do original “Evil Dead” trata ele quase como uma religião e mexer nesse vespeiro poderia ser uma dor de cabeça, isso se Alvarez não fosse respeitoso com o original, e isso ele é de sobra. Primeiro por não simplesmente repetir a trama original, depois por conseguir manter a violência, e segundo por sobrar na mesma insanidade demoníaca que Sam Raimi já tinha feito no original.

2) O Massacre da Serra Elétrica (“The Texas Chainsaw Massacre”, 2003, dir. Marcus Nispel)
Original – “O Massacre da Serra Elétrica” (1974)

Talvez uma das coisas mais difíceis que possa existir seja convencer um fã de uma obra original de que um remake presta, e isso é mais complicado ainda quando estamos falando da que muito provavelmente seja considerada a primeira de todas. Nispel traz “O Massacre…” para o terror atual, mas sem perder suas raízes atemporais… e lógico mantendo toda violência, sustos, tensão e Leatherface no ápice de sua selvageria.

3) Quarentena (“Quarentine”, 2008, dir. John Erick Dowdle)
Original – “[REC]” (2007)

QuarentenaEnquanto o original espanhol simplesmente mudou um pouco o jeito de fazer terror no cinema moderno, o americano foi lá e praticamente copiou tudo, de cabo a rabo. No entanto, se você não tem a oportunidade de ver o original, vá em frente e veja o remake, que é tão bom, tenso e interessante quanto o original (até porque é quase a mesma coisa).

4) Viagem Maldita (“The Hills Have Eyes”, 2006, dir. Alexandre Aja)
Original – “Quadrilha de Sádicos” (1977)

Viagem MalditaEm 1977 Wes Craven fez um filme perturbador, violento e inquietante, sobre como uma família comum poderia sofrer nas mãos de um bando de “mutantes”, mas ao mesmo tempo se tornar tão violenta quanto ela. Quase trinta anos depois Aja fez o mesmo, mas deixou de lado um visual datado e conseguiu ir ainda mais longe na hora de incomodar seu espectador.

5) O Chamado (“The Ring”, 2002, dir. Gore Verbinski)
Original – “Ring: O Chamado” (1998)

O ChamadoÉ lógico que o original japonês é perturbador e praticamente deu início a uma enorme onda de filmes de terror saídos do oriente. Porém Verbinski pega o conceito, a história, o terror e toda ideia e dá uma repaginada incrível, fazendo com que ele possa ser considerado facilmente melhor que o original.

6) O grito (“The Grudge”, 2004, dir. Takashi Shimizu)
Original – “Ju-on: O Grito” (2002)

O GritoE aqui um daqueles casos curiosos do mundo do cinema, já que o mesmo diretor original tem a oportunidade de refilmar sua obra em uma “versão ocidental”, com muito mais recursos, mais publicidade e já a fama de ter feito o original. Mais curiosamente ainda, Shimizu parece se esforçar para “ocidentalizar” sua própria obra e fazer um filme diferente, mesmo sendo igual.

7) Enigma de Outro Mundo (“The Thing”, 1982, dir. John Carpenter)
Original – “O Monstro do Ártico” (1951)

Enigma do Outro MundoCarpenter realizou um dos maiores clássicos do gênero, já o original de Howard Hanks é o reflexo datado de um período do cinema. Dois momentos, dois públicos e duas necessidades, mas o que Carpenter faz é um espetáculo em todos os sentidos possíveis e imagináveis.

8) A Mosca (“The Fly”, 1986, dir. David Cronenberg)
Original – “A Mosca da Cabeça Branca” (1958)

A MoscaTodo mundo que viveu os anos 80 teve pesadelos com “A Mosca” e enquanto o original é clássico e firme, Cronenberg vai completamente em direção a toda e qualquer possibilidade de ser bizarro, nojento e impressionante.

9) Deixe-me Entrar (“Let Me In”, 2010, dir. Matt Reeves)
Original – “Deixa Ela Entrar” (2008)

Deixe-me EntrarAinda que o remake não chegue nem perto do surpreendente original, nem em termos de visual, nem de clima ou violência, o resultado é ainda tão acima da média que é digno de tornar a versão americana tão cultuada quanto a original.

10) Drácula de Bram Stoker (“Drácula”, 1992, dir. Francis Ford Coppola)
Original – “Drácula” (1931)

DráculaÉ possível citar o original como o filme de 1931, ou talvez até qualquer outra adaptação do clássico da literatura, mas bem verdade o que Coppola faz é criar sua própria, linda, barroca e enorme visão do livro. Um gênio do cinema filmando um dos maiores clássicos da cultura mundial, o resultado só poderia ser um clássico instantâneo.

Outros artigos interessantes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.