MCU: O Caminho Até Aqui


O ano era 2008 e todos tiveram que ficar na sala até o final dos créditos para escutar uma voz no escuro da mansão de Tony Stark falar as duas palavras que iriam revolucionar o cinema no século XXI: “Iniciativa Vingadores”.

Os fãs dos quadrinhos logo reconheceram Samuel L. Jackson e seu Nick Fury do arco de histórias criado por Mark Millar e Brian Hitch, que tinha usado o ator como inspiração para o personagem nas páginas de Os Supremos. Assim como os mesmos fãs perceberam ali a possibilidade de todos seus sonhos se tornarem realidade.

Nascia ali o Marvel Cinematic Universe, ou popularmente conhecido como MCU. E “popular” talvez seja o ponto mais importante de toda essa narrativa. Criado uma estrutura onde cada produção buscava contar sua própria história enquanto, ao mesmo tempo, empurrava para frente uma trama um pouco maior, a Marvel criava ali um jeito de “fazer filmes” que a transformou em uma gigante da indústria.

Os planos eram enormes, os contratos com os atores cobriam diversos filmes e aparições, tudo parecia ligado. Um certo martelo foi encontrado no deserto no segundo Homem de Ferro e todos já sabia que o Deus nórdico chegaria aos cinemas quase um ano depois. A “santíssima trindade” da Marvel se completou no mesmo ano, com o soldado fora de seu tempo, Capitão América, último passo antes do evento Os Vingadores.

A revolução vinha com a criação de expectativa e uma serialização de todo seu universo. Tudo era criado para deixar um pequeno gosto na boca dos espectadores de que o melhor ainda estava por vir. O público “comprou essas ações” e Vingadores se tornou uma das maiores bilheterias da história do cinema e, assim como no final de Homem de Ferro, deixou uma multidão eufórica enquanto os créditos finais apontavam o futuro.

Esse futuro chegou em 2018 quando os “Maiores Heróis da Terra” enfrentaram Thanos enquanto esse buscava as seis “Joias do Infinito”. E se a grande maioria do público hoje sabe do que estou falando, é porque a Marvel conseguiu fazer com que essa três fases se tornassem uma mania muito maior do que qualquer de suas pretensões.

Seus filmes se tornaram símbolos, suas estreias eventos, cada trailer e prévia paravam a internet e as teorias sobre o futuro da Marvel no cinema não param de aparecer enquanto tudo está congelado por um estalar de dedos do Titã Louco. Mas o que importa mesmo é que o caminho até aqui foi cheio de surpresas, histórias inesquecíveis, super-poderes, uniformes coloridos, Deuses malucos e robô homicidas, raças alienígenas, supersoldados, uma guerra civil, um mago supremo, 21 filmes e muitas fãs obcecados em todo o mundo.

Conheça então o caminho até aqui:

Fase 1

Homem de Ferro
“Iron Man” | 2008 | Dir. Jon Favreau | Crítica
O Incrível Hulk
“The Incridible Hulk” | 2008 | Dir. Louis Leterrier | Crítica
Homem de Ferro 2
“Iron Man 2” | 2010 | Dir. Jon Favreau
Thor
“Thor” | 2011 | Dir. Kenneth Branagh | Crítica
Capitão América: O Primeiro Vingador
“Captain America: The First Avenger” | 2011 | Dir. Joe Johnston | Crítica
Os Vingadores
“Marvel´s the Avengers” | 2012 | Dir. Joss Whedon | Crítica

Fase 2

Homem de Ferro 3
“Iron Man 3” | 2013 | Dir. Shane Black | Crítica
Thor: O Mundo Sombrio
“Thor: The Dark World” | 2013 | Dir. Alan Taylor | Crítica
Capitão América: O Soldado Invernal
“Captain América: The Winter Soldier” | 2014 | dir. Anthony e Joe Russo | Crítica
Guardiões da Galáxia
“Guardians of the Galaxy” | 2014 | dir. James Gunn | Crítica
Vingadores: A Era de Ultron
“Avengers: Age of Ultron” | 2015 | dir. Joss Whedon | Crítica
Homem-Formiga
“Ant-Man” | 2015 | dir. Peyton Reed | Crítica

Fase 3

Capitão América: Guerra Civil
“Captain America: Civil War” | 2016 | dir. Anthony e Joe Russo | Crítica
Doutor Estranho
“Doctor Strange” | 2016 | dir. Scott Derrickson | Crítica
Guardiões da Galáxia Vol. 2
“Guardians of The Galaxy Vol. 2” | 2017 | dir. James Gunn | Crítica
Homem-Aranha: De Volta ao Lar
“Spider-Man: Homecoming” | 2017 | dir. Jon Watts | Crítica
Thor: Ragnarok
“Thor: Ragnarok” | 2017 | dir. Taika Waititi | Crítica
Pantera Negra
“Black Panther” | 2018 | dir. Ryan Googler | Crítica
Vingadores: Guerra Infinita
Avengers: Infinity War | 2018 | dir. Anthony e Joe Russo | Crítica
Homem-Formiga e a Vespa
“Ant-Man and the Wasp” | 2018 | dir. Payton Reed | Crítica
Capitã Marvel
“Captain Marvel” | 2019 | dir. Anna Boden e Ryan Fleck | Crítica | Vídeo
Vingadores: Ultimato
“Avengers: Endgame” | 2019 | dir. Anthony e Joe Russo | Crítica
Homem-Aranha: Longe de Casa
“Spider-Man: Far From Home” | 2019 | Jon Watts

Fase 4 (??)

 

Outros artigos interessantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *