Lutando Pela Família | Tudo fica melhor com golpes voadores, nomes divertidos, “The Rock” e muita lycra


Não faltam filmes onde um jovem sonha em ter uma carreira estelar e precisa encontrar forças para obter esse sucesso depois de descobrir que esse caminho é mais complicado do que imaginava. Todo mundo já viu isso com atletas olímpicos, cantores e cantoras, bailarinas, jogadores de qualquer coisa, enfim, Lutando Pela Família não é novo, mas com certeza é divertido e funciona.

O principal ponto desse acerto é, tanto se tratar de uma história real, quanto por falar de luta livre, aquela encenada e com os super astros. E não existe nada que não fique melhor com um monte de golpes voadores, nomes divertidos, “The Rock” e muita lycra.

E por mais que Lutando Pela Família seja bancada pela WWE (World Wrestling Entertainment) e seja sobre um assunto extremamente americano, o filme não só tem grande parte de sua história passada na Inglaterra, mais precisamente em Norwich, quando é dirigido por um inglês (Stephen Merchant, um dos criadores da série The Office original). Definitivamente isso traz ares diferentes para grande parte das ideias.

A história é baseada na ascensão da lutadora (“Wrestler”) Paige, vinda dessa cidadezinha inglesa e mais filha caçula de uma família onde aa lutaa livre é o centro de toda dinâmica. Pai e mãe ex-lutadores (“amadoramente profissionais”) agora comandam uma liga regional do esporte, enquanto ambos irmãos, assim como ela, treinaram a vida inteira para aproveitar uma oportunidade de se tornaram uma estrela do WWE. Algo que acaba acontecendo com ela.

O filme divide a trama entre “Paige” (vivida pela onipresente Florence Pugh, que parece ter estado em todos filmes dos últimos dois anos… e ainda falta Viúva Negra) e seu irmão “Zak Zodiac” (Jack Lowden). Na verdade, Saraya e Zac, e enquanto a história acompanha ela descobrindo o quanto é difícil se tornar uma lutadora profissional, não larga dele e da frustração de ter que ver seu sonho ir pelo ralo.

E por mais que seja empolgante ver um pouco dos bastidores do WWE enquanto ela precisa mostrar o quanto está preparada para a fama, ver a trama paralela sutilmente humanizar o roteiro enquanto olha para o irmão é um acerto gigante. Não só para “quebrar” o ritmo em algo menos óbvio, já que ela só treina, mas também para entender que tem em mãos um filme sobre o quanto os sonhos podem mudar e ainda conseguirem permanecer sonhos.

Mas talvez esse lado britânico do filme ainda ajude o filme a não ser só uma sucessão de barreiras quebradas por essa heroína clássica. Paige nunca é enxergada em sua jornada como alguém perfeita, suas indecisões e inseguranças criam uma personagem muito mais complexado que se espera de um filme sobre luta livre levinho. Sim Lutando pela Família é um divertimento leve e com uma lição de vida interessante, sensível e emocional.

É lógico que o assunto (luta livre) pode afugentar o público, tanto brasileiro, quanto de qualquer lugar que não esteja à vontade com os holofotes e cinturões, mas em nenhum momento Lutando Pela Família pensa em ser um filme para iniciados. É fácil entender a paixão dos pais pela luta e como isso movimenta a família, não por serem didáticos, mas principalmente, por se tratar de um amor de verdade e de um roteiro que entende essa sutileza. A paixão com que os dois falam do assunto é incrível e posicionam perfeitamente bem o espectador dentro desse mundo. Eles serem vividos pelos ótimos Nick Frost e Lena Headey só ajudam a fazer com que ambos sejam uma espécie de alma do filme.

Tudo isso ainda pode culminar em um final emocionante, bem costurado e preciso. Fazendo com que Lutando Pela Família se torne uma daquelas surpresas para muita gente que não se interessar pelo assunto, mas que, ao der uma chance, acabar descobrindo que a luta livre é apenas um detalhe em uma história humana, divertida e que pode até te arrancar algumas lagrimas. Mas não se preocupe, elas serão de alegria enquanto Paige aplica uma imobilização depois de uma chave de perna voadora e o juiz espalhafatoso gritar o “3” e terminar a luta.


“Fighting With My Family” (UK/EUA/Mex, 2019), escrito e dirigido por Stephen Merchant, com Florence Pugh, Jack Lowden, Nick Frost, Lena Headey, Olivia Bernstone, e Dwayne “The Rock” Johnson.


Trailer do Filme – Lutando Pela Família

Outros artigos interessantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.