Heaven is a Traffic Jam on The 405 | A Beleza do Caos

Heaven os Traffic Jam on The 405 Filme

Acâmera de Frank Stiefel começa no banco passageiro da artista de 56 anos, Mindy Alper. O objetivo é, logo de cara, fazer o espectador entender a razão do longo e misterioso título, Heaven is a Traffic Jam on the 405 (algo como ¿o paraíso é um congestionamento na 405¿). Ao mesmo tempo, é também a oportunidade de entender a primeira camada dessa artista complexa o suficiente para se encontrar feliz em meio ao caos.

Para Mindy, que também narra boa parte do curta, o prazer é sentar lá e ver os outros carros e pessoas paradas. Nas suas palavras fica claro uma aparente dificuldade de pronunciar as palavras com clareza e um espaçamento entre elas que demonstra haver algum tipo de impedimento físico ou mental. Mas o que sai dali é claro. ¿Claro¿ como um soco no peito.

Enquanto fala dela e de sua história, suas ilustrações ganham vida e ancoram o espectador dentro de um mundo onde aqueles traços que soam precisamente distorcidos enxergam o mundo através dos olhos da artista. Stiefel e sua câmera sabem da importância de deixar tudo isso ser descascado e Heaven is a Traffic Jam on the 405 se torna então um retrato poderoso de uma alma destruída.

Aos poucos, seus desenhos começam a preencher memórias destruídas pelo tempo, assim como abusos do pai e afastamento mãe. ¿Minha mãe não tocava em mim e meu pai tocava demais¿, lembra Mindy enquanto seus desenhos ¿falam¿ muito mais do que qualquer palavra. Suas dores, traumas e um problema mental que hoje é controlado com  mais de uma dezena de comprimidos por dia, são o combustível para a sensibilidade e a potência de uma arte que toma tudo ao redor dela.

Heaven os Traffic Jam on The 405 Crítica

Algo dentro dela, uma raiva dolorosa, se torna arte. Desde de desenhos até esculturas. Heaven is a Traffic Jam on the 405 acompanha ainda a preparação de uma grande exposição em uma galeria de arte, um projeto que nasce junto de um tratamento onde a artista passa a fazer esculturas enormes em papel machê. O resultado é lindo, poderoso e inesquecível.

Stiefel no banco do passageiro talvez soubesse de tudo isso, soubesse de onde iria chegar enquanto tenta mergulhar dentro da mente de Mindy Alper, mas com certeza não devia imaginar o quanto conhecer essa mulher pode ser algo tão poderoso para quem conferir seu filme. Como conhecer uma alma torturada pelo passado e conseguir ver isso se transformar na mais pura e tocante arte.


¿Heaven is a Traffic Jan on the 405¿ (EUA, 2017), dirigido por Frank Stiefel


Trailer ¿ Heaven is a Traffic Jam on the 405

Outros artigos interessantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *