Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro | Tinha tudo para ser bacana

Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro Filme

É necessário entender a importância de filmes como Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro. É uma produção de baixo orçamento e de um gênero que precisa sempre de tentativas desse tipo para possibilitar que o mercado olhe com carinho para outras produções. Danilo Gentili e sua turma precisam então receber os louros dessa empreitada.

Dito isso, Exterminadores do Além é uma ideia bacana que poderia resultar em um terror cheio de bom humor escrachado, mas acaba se perdendo em suas próprias ambições. Falta uma realização mais competente e que entendesse melhor as possibilidades do material e não se permitisse ser só aquilo que acha que seu público quer.

Um desespero narrativo que não permite que a trama escrita pelo próprio Gentilli em parceria com o diretor Fabrício Bittar e André Catrinacho, pareça só querer a atenção de um público extremamente específico. Como se esquecesse do verdadeiro público para o qual o filme deveria ser pensado. Afinal, é um gênero com fãs ardorosos espalhados pelo mundo.

Essa legião irá se divertir com o começo que conversa diretamente com o terror e com aqueles (poucos) momentos onde o roteiro entende que dialogar com um público inteligente, que entende as referências a se diverte com o exagero. Infelizmente, Exterminadores do Além passa longe disso na maior parte do tempo.

Compare a participação do “porta dos fundos” Antonio Tabet, quebrando a quarta parede e ditando seu papel em um filme de terror e tendo um final digno dos melhores momentos de produtoras como a TROMA, com, por exemplo, a (desastrosa) luta do personagem de Gentilli com um feto que termina em ejaculação e mal gosto.

Olhe para a pequena, mais interessante, participação da comediante Dani Calabresa, se surpreenda, se divirta com o gore e ainda perceba que sua presença, mesmo rápida, prepara uma piada que só vai ser usada no final (envolvendo sua roupa). Fazer isso demonstra que Exterminadores do Além tinha sim capacidade de ser melhor que é.

Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro

É impossível não acreditar que esse terror (ou “terrir”, se preferir) sobre esse programa do Youtube, os “Caçadores de Assombrações”, que dá risada do monte de semelhantes que existem na TV à cabo, que acaba dando de cara com um caso real de assombração, tem tudo para ser um filme divertido. Não é, mas poderia ser.

O que sobra é uma quantidade enorme de piadas empilhadas para agradar o público de Gentilli. Com referências que somente um público menor irá entender (como com a própria Calabresa ou até com a presença do diretor vivido por Sikêra Júnior gritando “maconheiro” para todos os lados). Como aquele primo chato que repete uma mesma piada para todo mundo que encontra. Pior ainda, Exterminadores do Além conversa com um público que se contenta com um palavrão gritado.

Pior ainda, o roteiro é tão desastrado que não percebe que manter os personagens dentro de seus clichês só entrega o óbvio. Gentilli ser mais uma vez um cara babaca deixa de ser interessante quando você já viu isso em seu filme anterior. O mesmo se pode dizer de seu parceiro Léo Lins e Murilo Couto, que parecem nem ao menos estarem interpretando personagens.

Isso fica ainda mais desastroso, já quem ninguém ali parece saber o que fazer em cena, que pode ficar na conta do trabalho igualmente desastroso do diretor Fabrício Bittar na hora de comandar seu elenco, que parece sempre perdido em cena. Curiosamente, quando Bittar aceita sua responsabilidade de copiar o gênero, faz um trabalho eficiente e interessante.

Talvez falte para Bittar, e até parta Gentilli, acreditarem mais nas capacidades de ambos de permanecerem dentro da ideia inicial que tinham em mente. Se tentassem ficar mais dentro do terror e permitissem que o riso viesse ora da sutileza, ora do exagero, teriam em mãos um filme que seria lembrado pelo cenário do terror com todo o carinho.

Exterminadores do Além preferem então agradar apenas quem já iria no cinema atrás das personalidades que já seguem no Twitter. Perdendo a chance de surfar em uma onda que o cinema nacional já está surfando (a do cinema de gênero), e preferindo gritar como um youtuber desesperado por atenção.


“Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro” (Bra, 2018), escrito por Fabrício Bittar, André Catarinacho e Danilo Gentili, dirigido por Fabrício Bittar, com Danilo Gentili, Léo Lins, Murilo Couto, Dani Calabresa, Sikêra Júnior, Pietra Quintela e Bárbara Bruno.


Trailer – Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro

Outros artigos interessantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *