Uma olhada no que foi notícia nessa última semana.

 

National Board of Review Institute

Assim como todo ano, os prêmios da Academia de Artes e Ciencias de Holywood (vulgos “Oscars”) são os mais badalados, mas um bom punhado de outros vêem antes dele e servem também para festejar o cinema nesse ano que passou (assim como de termômetro para as apostas para o  Oscar), e o primeiro de todos deu às caras essa semana. As premiações do “National Board of Review Institute” quase sempre não batem com as que vem na sequencia, ainda que nos últimos dois anos isso tenha acontecido em algumas categorias, mas mais do que isso, são escolhas fáceis de serem entendidas (isso com certeza muito mais que a grande maioria de outras premiações).

O curioso, é que além do filme vencedor, ainda faz questão de apontar um “top 10” de filmes do ano, e em tempos que o próprio Oscar decidiu voltar a ter o mesmo número de candidatos (ano passado compartilharam seis deles), acaba sendo mais ainda uma chance de se preparar.

Melhor Filme (mais os dez maiores do ano esses sem ordem) – A Rede Social”

“Another Year”, “O Vencedor”, “Além da Vida”, “A origem” (crítica do filme “A Origem”), “O Discurso do rei”, “Ilha do Medo” (crítica do filme “Ilha do Medo”), “Atração Perigosa (crítica do filme “Atração Perigosa”), “Toy Story 3” (crítica do filme “Toy Story 3″), “Bravura Indômita” e “Inverno da Alma”

Melhor AtorJesse Eisenberg (“A Rede Social”)

Melhor AtrizLesley Manville (“Another Year”)

Melhor Ator CoadjuvanteChristian Bale (“O Vencedor”)

Melhor Atriz CoadjuvanteJacki Weaver (“Animal Kingdom”)

Melhor Elenco“Atração Perigosa”

Melhor Diretor David Fincher (“A Rede Social”)

Todos outras categorias e seus ganhadore, você pode encontrar aqui, no site oficial do National Board of Review Institute.

 

Metro Goldwin Meyer

Depois de praticamente fechar as portas, congelar seus projetos por “tempo indeterminado”, pensar em vender seu catálogo, oferecer os direita da franquia de James Bond para se salvar (além de colocar a venda em outro pacote até seu logotipo) e abrir processo de falência, parece que a MGM (aquela do leão) voltou a respirar. Primeiro, com a notícia de que o vigésimo terceiro filme do agente britânico já começou a ser feito, assim como ainda ficou garantida a volta de Daniel Craig como Bond e a presença na direção do Oscarizado Sam Mendes (pela língua solta de sua mulher Kate Winslet que contou que estava indo morar na Inglaterra para o marido fazer o filme). O filme é promessa só pra fim de 2012, mas já cria grandes expectativas.

Pelo menos, alguns sinais de que o leão voltará a rugir.

Por outro lado, a MGM acabou perdendo para a Fox (que até já marcou data para começar a ser rodado) a adaptação dos irmãos Farelly (aqueles de “Deb & Loide” e “Quem vai Ficar com Mary”) para os “Três Patetas”, que tinha como chamariz a presença de Sean Penn, Jim Carrey e Benício Del Toro como o trio. Tinha, já que os três, pularam fora diante desses “problemas” do estúdio. Agora os irmãos Farelly prometem então “um filme mais preocupado com sua estrutura e seu roteiro do que com grande estrelas”. E que cada um entenda o que quiser com essa declaração.

 

Festival de cinema de Sundance

O festival de filmes independentes, criado por Robert Redford, já liberou os filmes de sua programação, e entre a mostra competitiva de documentários, a presença de “Senna”, do inglês Asif kapadia, dá um pouco de gostinho brasileiro para a disputa, mas a cereja do bolo (ou a faca na caveira) é a escolha de “Tropa de Elite 2” para participar da mostra não competitiva, o que acaba sendo um passo enorme para o filme ganhar reconhecimento lá fora, já que Sundance é sempre uma ótima vitrine para quem está à procura de novas produções.

Outros artigos interessantes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.