Bruna Surfistinha

Crítica do Filme: Bruna Surfistinha

Eu raramente (ou quase nunca) me sinto confortável escrevendo sobre filmes na primeira pessoa, como se um pequeno alarme soasse no fundo de meu cérebro me lembrando das aulas na faculdade, mas enfim, se o farei agora não será pela qualidade do filme, nem pelo contrário. Bem verdade Bruna Surfistinha não é mais que uma daquelas tentativas medianas de embarcar em um momento que favoreça o assunto, mas sim uma que acaba tendo sua validade para mim (por isso a primeira pessoa), justamente pela fragilidade de tudo aquilo que veio antes dele.

Primeiro foi o blog, com que a garota de programa, vulgo Bruna Surfistinha, fez um enorme sucesso na internet contando sobre suas experiências e seu passado de patricinha (tendo como ponto alto as notas e os comentários sobre cada programa seu durante o dia). Depois veio o livro, O Doce Veneno do Escorpião, com o qual eu esbarrei em uma doação de uma biblioteca e não pude conter a curiosidade. Por fim, baseado no Best Seller, veio o filme. O importante disso tudo é tentar entender como, tanto o diário digital quanto a biografia, dois produtos narrativamente pobres, desinteressantes e pouco empolgantes, podem resultar em uma produção que, se não é um mar de acertos acaba se mostrando tremendamente esforçada.

Não sou uma assumidade literária, nem tento ser, mas é impossível acabar de ler o livro e não sentir uma falta de sentimento incrível para um produto que tenta vender uma imagem muito mais empolgante que seu resultado. Sem uma linha expressiva à ser seguida, diluída entre a vontade de contar suas experiências e a necessidade de achar uma razão para tudo aquilo, O Doce Veneno do Escorpião é equivocado, no entanto, serve como a base perfeita para o roteiro do trio José Carvalho, Homero Olivetto e Antonia Pellegrinno, que caminha grudado naquelas páginas, mas ao mesmo tempo parece terem o discernimento perfeito para abrir aquelas tais exceções que mais prejudicam a vida das adaptações.

Se o blog e o livro O Doce Veneno do Escorpião são pobres e desinteressantes, o filme Bruna Surfistinha se mostra extremamente esforçado

Olhando só para o filme, o resultado talvez se mostre cheio de atalhos preguiçosos, como a adolescência tomada pelo preconceito, a luta pela independência, a fama, a lama e a volta por cima, mas é no modo como tudo isso sai de um texto tão sem sentido quanto o do livro que é que mais surpreende. Mais ainda, o modo como o texto do trio não se prende àquelas amarras reais que tanto prejudicam a ficção. Em uma trama cheia de concessões, o que vale mais é contar aquela história do jeito que faça mais sentido como cinema, não como verdade.

Se o livro tem uma carência enorme de personagens rodeando esse mundo egocêntrico da protagonista, aqui, é fácil perceber o quanto a presença marcante de Drica Morais como a primeira cafetina da personagem ajuda o filme a andar à passos firmes. Do mesmo modo que se sente tranquilamente mais a vontade para povoar esse mundo com algumas outras amigas e parceiras de profissão para animar e dar mais ritmo a toda experiência. Assim como também na hora de criar um vínculo muito maior da personagem com certos clientes, como o vivido por Cássio Gabos Mendes, que dá as caras várias vezes durante a trama e serve como uma espécie de válvula de escape da protagonista com o mundo que orbita o seu.

Carvalho, Olivetto e Pellegrinno, fazem tudo isso de um jeito coloquial, é verdade, onde cada um sentado naquela sala de cinema vai ser capaz de adivinhar o rumo daquela trama bem antes dela acontecer, mas um aparente carinho com o material original, e como o jeito “diário de uma prostituta” do mesmo, pintado de detalhes picantes, pitorescos e bem humorados, fazem com que Bruna Surfistinha acabe resultando em algo bem humorada e interessante, que tem lá seu perfil “lição de moral” e otimista, mas durante a maioria do tempo sobrevive por tentar mostrar para o público um pouco desse mundo que a maioria não conhece, mas com o sentido e a linha narrativa que, tanto o blog quanto o livro, não conseguiram encontrar.

Por outro lado, a direção do estreante Marcus Baldini, só ajuda mais a fazer com que o filme funcione. Ainda que um pouco reticente com o visual que parece querer imprimir, ora com um tom mais plástico, jogando com o foco da câmera e um olhar que resulta em composições que deixam a imagem respirar, seu lado mais prático e objetivo acaba se tornando muito mais satisfatório para a história, um lado que não fraqueja em ser sensual e visceral, satisfazendo àqueles que irão ao cinema em busca de um pouco de histórias e cenas picantes. Que se mostram na medida entre a força, a coragem e um modo explícito e exagerado que talvez afastasse demais o público dos cinemas (o que eu não acredito que irá acontecer).

Debora Secco estrela o filme Bruna Surfisitnha

Por fim, a presença de Débora Secco, no papel de Bruna Surfistinha, ajudará aos números das bilheterias, mas decepcionará muita gente que for à procura de alguma experiência reveladora da carreira da atriz. Mesmo se esforçando bastante para caminhar dessa jovem insegura até essa mulher decidida, não tendo o menor pudor com sua imagem de atriz de novela e se deixando levar pelas necessidades de sua personagem, infelizmente acaba caindo em atalhos mais fracos até que o roteiro, talvez até em parte pela falta de experiência do diretor com seu elenco. Sua Bruna, ou Rachel (nome verdadeiro da personagem) se resume na adolescência a um joelho torto e um pé pisando para dentro, com a ajuda apenas de uma franja fora de moda, do mesmo jeito que seu lado junkie, tomado pelas drogas, se obriga a cerrar os olhos e entreabrir a boca, ao mesmo tempo em que exagera demais como sua personagem sentando sempre com as pernas abertas e sem classe, algumas características que, em um conjunto de outras nuances talvez resultassem em uma composição rica, mas aqui só demonstra uma falta de preparo na hora de tentar entender quem era aquela personagem, e não o que ela representa.

Mas de qualquer modo, Bruna Surfistinha (que leva o nome da personagem enquanto o nome do livro seria muito mais interessante para o filme) não vai decepcionar quem for ao cinema curioso com a história dessa mulher, que extrapolou um pouco uma sociedade hipócrita e preconceituosa com uma fama que, mesmo passageira, é bem interessante de tentar ser entendida.


idem (Bra, 2011), escrito José Carvalho, Homero Olivetto e Antonia Pellegrinno, a partir do livro “O Doce Veneno do Escorpião”,  dirigido por Marcus Baldini, com Débora Secco, Cássio Gabos Mendes, Fabiula Nascimento, Drica Morais


Outros artigos interessantes:

76 Comments

  1. bom bruna sufistinha esse filme foi muito bom gostei espero que passe dinovo eu vou conpra o DVD pq eu gostei de mais cuseso bruna surfistinha kkkkkkkkkkkkkkk vc e dimais adorei o filme foi de mais muito bommm

  2. O que eu queria saber é: se ela realmente fez as cenas de sexo. Por que LOL, uma atriz se por nessa situação… Vai degredir muito a imagem.

  3. “certesa” mesmo que eu sou gay? mas indo pela sua lógica (e deixando de lado qualquer lado tecnico!) eu sou gay por que não gosto de um filme em que um cara fica o tempo todo sem camisa e fiz elogios a um filme onde a Debora Secco fica ela sem camisa metade do filme… irônico isso não?

  4. na critica do filme quebrando regras a galerara ja falo q esse cara era gay! Agora eu tenho certesa

  5. QQ UM Q DIGA Q ESSE FILME É BOM, NÃO MERECE SE CHAMADO DE SER RACIONAL, NO MÍNIMO UM QUADRUPEDE ORELHUDO

  6. Eu acho que este filme incentiva à prostituição. Não fala sobre os riscos de doenças
    sexualmente transmissiveis, nem da exposição aos perigos de violência e maus tratos contra a mulher. O filme não mostrou grandes dificuldades ou problemas ligado à prostituição, como deve ser encarar todo tipo de cliente de diversas classes sociais…
    A personagem Bruna parece sempre gostar de fazer programas, mesmo afirmando
    que seu trabalho não é facil.

    Acho que não cabe à julgar uma historia de vida. Cada um tem seu caminho para amadurecer. Nos vivemos numa sociedade hipocrita, onde valorizamos demasiadamente o dinheiro, a fama, a beleza e a superficialidade. Acho que esse filme faz refletir porque meninas jovens de classe média ou alta estejam optando por essa profissão? O proprio corpo da atriz Débora Secco demonstra isso, um corpo lindo, muito bem malhado e com silicone! Ela fez cenas altamente eroticas e expos seu corpo.

    Então concluo que a prostituição é um grande tabu!!! A Débora Secco também usou seu corpo quando fez a personagem de Bruna. Mas ela é atriz e não prostituta! Aonde esta o limite da utilisação do corpo de maneira erotica?

    A sociedade brasileira trata o corpo da mulher como objeto, e o proprio filme abusou de cenas eroticas expondo o corpo da atriz, assim como o cinema nacional, as novelas e a midia sempre fez. A mulher é valorizada pela beleza, fora que vivemos numa sociedade machista que vê a mulher como um objeto. Valorizamos o corpo, então vamos parar com essa hipocrisia relativas à prostitução, pois “prostitutas” ou não, todos somos seres humanos e ninguém vale mais que ninguém, cada um tem sua historia e seu processo de amadurecimento.

  7. [Nota do Editor – Linguajar desnecessariamente sujo!]
    vai toma no cu filme mal rum ela abre as pernas faceis rampeira pe rachasdoooooooooo

  8. Muito obrigado pelos elogios, Roberto Almeida… e depois me passe seu site pra eu dar uma olhada… e espero que você sempre volte por aqui… abração!

  9. O autor da crítica tem razão: o filme é melhor do que o livro. Gostei também da referência a atriz Drica Moraes, que está muito bem. Acho que a Deborah Secco não se saiu tão mal. Ela é a grande responsável pela boa bilheteria do filme, em parte pelas suas formas, mas também graças ao seu talento pelo menos mediano. Pode não ser uma Fernanda Montenegro ou uma Cássia Kiss, porém dentro das limitações da dramaturgia nacional creio merecer mais elogios do que críticas.
    Conheci este blog hoje e gostaria de parabenizar o responsável pelas inteligentes críticas sobre cinema. No meu blog – que inclui posts sobre política, música, literatura, etc – escrevo uma série intitulada “Filmes Inesquecíveis”, privilegiando clássicos. Só que é uma coisa mais de fá, de apaixonado pelo cinema, não consigo ser tão intelectual ou observador quanto o Vinícius. Grande abraço.

  10. eu adorei o filme da bruna sufistinha ¨tem umas partes do filme erotikas que eu prefiro nem fala??esse filme sserviu de liçao para as pessoas que o dinhero nao compra tudo como
    uma familia e nem o amor .a Debora seco e umas das pessoas que eu mas tive vontade de conheçer mas depos que eu vi esse filme mem deu mas vontade ainda de conheçer ela .pra falar bem a verdade eu so fam zissima da Debora Seco eu nao to nem ligando pro que o povo fala dela eu adoroooooooooo ela de todo jeito.

  11. eu adorei os comentarios e achei o filme super interessante e ssuper intimo.

    eu numca imajinei a Debora Seco fazendo esse papel. Mas combinou tudo com ela porque

    a Debora tem o corpo lindo ¨¨ e essas cenas mostra o lado chujo do sexo . Da falta de

    denhero

    sexo tem tudo ave com ela o corpo dela

    e lindo e os homens gostam.

    anti

  12. Sylvana, muito obrigado pelo seu comentário… espero que você volte mais vezes para dar sua opinião….

  13. Vi o filme e os comentários, achei os comentários ainda mais interessantes…rsssss. Não acho o autor metido a intelectual, acredito que o mesmo deve apreciar bastante a arte e tentou fazer uma análise, dar a sua opinião, o que pode ajudar muitas pessoas e a aprtir daí criar novos pontos de vista. Concordo que a personagem poderia ser mais rica, com certeza alguém como Bruna tem tantas contradições, tantos medos, desejos que poderiam ser mais explorados, aprofundados. Mas acredito que a tela também limita, o tempo e espaço pedido são mais rápidos e fragmentados. Acredito que o filme nunca pretendeu narrar o “real” até pq aí existe uma grande impossibilidade, mas sim representar “simbolos” que rondam a nossa sociedade, preconceito, laços, quebras, momentos efemeros, a busca dos 5 minutos de fama, a droga como uma ilusão, uma fuga que em nada é promissora. Não vejo de maneira nenhuma incentivo a prostituição ou as drogas nesse filme. Vejo uma trama de relações que podem levar sim uma jovem a percorrer esse caminho. Cada pessoa tem seus limites, suas dores, seus traumas e agem de acordo com a sua estrutura. Acredito sim que a Bruna se sentiu rejeitada, mesmo parecendo tudo ser muito bom, a busca da superação e do valor que ela acreditou estar ” no dinheiro”. Mas não é isso que pregamos? Quando alguém mata por um tenis Deus da Nike, não é pq o valor material é maior que o humano? Quando politicos que colocamos no poder desviam verbas da saúde, fato que leva centenas de pessoas a óbito, não é pq novamente o dinheiro é mais importante do que uma vida? vivemos em sociedade cada vez mais economicista, que materializa as pessoas, no qual até os filhos são contabilizados: quem nunca pensou qto vai “INVESTIR” nos filhos, e qto isso trará de lucro ou prejuízo? são termos da economia, o homem passa a ser materializado e isso tudo é horrivel. Vc tem que valer alguma coisa, valer algo é ser aceito e o que as pessoas fazem para serem aceitas ou aparecer, o dinheiro compra, entao como conseguir o DINHEIRO?????O que é pior vender seu corpo ou o corpo alheio? Nem pretendo achar resposta para essa pergunta. Acredito que Surfistinha é uma das muitas moças cheia de medos, dúvidas, complexos e com vontade ter, de preencher vazios, é um ser humano a margem tentando mostrar algum valor, de uma maneira muito cruel, que a colocou em um grande sofrimento e riscos… Acredito que hipócrita é fazer de conta que isso não existe, da mesma maneira que fechamos o vidro na cara da criança pedindo esmola nos sinais, nossa como elas são “chatas” incomodam, crianças que não tem o que fazer, estão ali pq querem encher o saco… Muitas vzs é assim que agimos com as pessoas que estão a margem, julgamos, condenamos, agora até matamos ( vejam os gays sendo mortos). Me pergunto pq as pessoas são tão intolerantes????? Preferem achar que o comentário do colega é metido a intelectual, que o filme não vale nada pq mostra o lado sujo? Nossa é incrivel como para apontar os dedos vem sempre tão cheio de razões…

  14. O que se esperar de um filme com a Débora Secco? Apenas isso…além do que ela só presta para esse tipo de papel…o que me deixa feliz é que o tempo passa e não se tem como evitar a “lei da gravidade”…E num país como esse, assuntos como prostituição, drogas, corrupção é o que dá ibope…infelizmente um filme cabeça, só faz sucesso lá fora, onde realmente as pessoas procuram conhecimento…não é à toa que vários diretores brasileiros debandaram para fora para assim poder realizar os seus projetos “cabeça” e serem reconhecidos por isso…

  15. Esse filme mostra que a vida de uma garota de programa é facil, glamorosa. O que todos sabemos que não é verdade. Por isso ele merece ser seriamente discutido para que garotas desavisadas não resolvam entrar nessa vida, pensando que esta será cheia de glamour.

  16. Assisti esse filme achando que ia mostrar uma lição de vida para muitas garotas que se iludem que a vida fácil é melhor.Mais o que eu vi,foi apenas um filme pôrno,sem conteúdo nenhum,contando uma história de uma garota de familia de classe média,estudando em um bom colégio,que resolve ir encarar o mundão com a vida fácil.Ela sim diferente de muitas garotas que estão nessa vida,teve opção e a opção que ela escolheu foi a vida fácil,como uma pessoa chega a se vender por 20,00….isso é cultura AONDE?????perdoe-me mais então não sei o que é cultura….Raquel Pacheco ou Bruna Surfistinha,é uma mulher extremamente sem conteúdo.Ese filme foi a ultima vergonha de todos o tempo,tive vergonha de assistir esse filme,como uma atriz como Debora Seco aceitou fazer um filme desse????estou com nojo dela,não aguento nem assistir ela na novela……e quando ela tiver filhos como vai ser….Ah faça-me o favor,que filminho de quinta….

  17. ASSISTI O FILME PENSANDO QUE IA SER UMA HISTORIA LEGAL … NADA DISSO ACONTECEU … NAO VI NADA QUE PODESSE ACRESCENTAR A ALGUEM NA HISTORIA DESSE FILME . SO VI UMA MOÇA QUE ROUBOU A MAE QUE NAO FEZ NADA P/ PAI OLHAR P/ ELA E DIZER FILHA TENHO ORGULHO DE VC ..FEZ FOI O CONTRARIO …. UMA HISTORIA DE UMA MOÇA QUE SE PROSTITUI PQ QUER E GOSTA DA VIDA QUE LEVA …. A IMAGEM DE INOCENTE PASSADA NO COMEÇO DO FILME NADA A VER …… EMFIM MUITA DROGA QUE E A REALIDADE DE TDS QUE SE PROSTITUEM ……E QUE REALMENTE E UM DINHEIRO MALDITO QUE ELAS GANHAM PQ .NO COMEÇO DO FILME ELA JUNTOU O DINHEIRO PARA PARAR DE FAZER PROGRAMAS E FOI ROUBADA …. DPOIS CONTINUOU FAZENDO SO P SUSTENTAR COM O SEU VICIO EM COCAINA .. E A REALIDADE MESMO .NUNCA CONHECI GAROTAS DE PROGRAMA COM GRANA MESMO … A NAO SER QUE ELA SEJA FAMOSA . PQ QUEM VAI P ESSA VIDA E MUTO DIFICIL VC SAIR DELA ……..VICIA COMO DROGA

  18. Brasileira já tem uma fama de puta lá fora, imagina agora com esse filme… Fodeu tudo.

  19. Tenho 16 anos, e o filme parece ser pra maior de 18 anos.. mas mesmo assim não me arrependi de ter assistido. Não só eu, como muitas outras amigas e amigos meus da minha idade e até mais novos. Acho que todos teem o direito de opinar, e de escolher.. mas não de criticar. O filme não é pesado, é REALISTA! é bem diferente do que todos estão acostumados, e eu parabenizo a Deborah Secco por ter feito esse filme, porque não é qualquer atriz que toparia fazer e ainda por cima arrazaria no filme fazendo com que quem estivesse assistindo de sentisse dentro do filme. Mil desculpas, mas eu tenho certeza que você vendo vídeo pornô não acha escroto, pelo contrário.. acha até necessário, e porque não aceitar esse filme? Se não quiser, não assiste e pronto.. quem não aguenta e se acha fraco, é só não colocar no dvd e fim de papo. Discordo totalemente de você..

  20. Crítica? Ahh veja o filme…gostou? wow,nao gostou.. só lamento… nao escreva criticas…existe faculdade de cinema…mas será que essa faculdade só ensina as pessoas a serem criticas? Porra… o filme fala de puta… sim da vida de uma ex-puta… queriam o que? que tivesse algo parecido com “audrey” em bonequeinha de luxo?Faca um melhor com a porra de dinheiro mísero que existe para se fazr filmes no Brasil…Aí quem sabe eu nao assisto o teu filme ooow BURRO.

  21. eu achei esse filme muito escandaloso e a deborah secco muito safada eo que eu falo

  22. corpo-mercado, mulher-objeto, retrata uma realidade de nossa sociedade que consome tudo. E porque não consumir mais um filme de uma mulher consumivel? Retratar o Brasil que vendido ao capital estrangeiro prostitui sua soberania. Não acho que seja questão de má influencia, acho sim que estamos mais uma vez valorizando a mulher-coisa consumivel e descartavel, objeto de um gozo masoquista, deturpando a realidade da mulher e do proprio homem…não é a história das prostitutas no Brasil, nem a história da prostituta que sem dignidade e trabalho excluida e velha a margem de uma sociedade que a usou e renegou… É mais um jogo midiatico de formação de consumidores-cordeiros seguindo de olhos vendados com o rebanho, ao abismo do corpo-consumivel.

  23. Eu também acho que o filme não foi lá essas coisas porém acho q atingiu seu
    objetivo em contar a historia dela,e não acho certo ficarem julgado uma maioria
    por conta disso , cada um tem sua opiniao e sua vida; muitas entram por que gostam
    muitas porque realmente precisam cada uma tem sua historia e seu motivo; e eu acho
    q o filme só irá influenciar quem tem cabeça fraca e é muito sem noçao ! –‘ e além do
    mas não acho que seja uma “profissão” desonesta não estao roubando
    ninguém,fazendo mau a ninguém.

  24. Se for ver pelo lado financeiro da coisa toda acho que todos conseguiram os seus objetivos!!!hahahah…tema manjado ou não, foi inteligente o glamour usado para chamar dindin para todos os lados ahahahahah, o que é o maior objetivo o da nossa Querida e coitadinha RachelUm beijo pra tu mulher.

  25. enquanto opinamos sobre este filme, estamos fazendo justamente o que se espera dele. Sabemos que a intensão era de ser um filme polêmico.
    Este filme mostra com muito mais ênfase o lado bom de ser uma garota de programa do que as consequencias e problemas creditados a tal ação.
    Eu pergunto, você assistiria este filme juntamente com a sua filha de 16 anos?

  26. nao gostei muita putaria debora seco muito putona cachorra o meu marido nao para de ver esse filame

  27. Eu simplismente, achei o filme FABULOSO .. e sou os PARABÉNS a Atriz Deborah Secco, acho que não seria qualquer uma atriz que teria coragem de fazer um filme nesse.

  28. Nossa, estou tentando me recuperar desse filme horrendo, a maneira que ela pensa (Bruna) é igualzinho a uma ex- namorada minha.
    Ela não quer depender de homem nenhum, mesmo que este a ame, isso da parte da Bruna foi triste ela podia ter ouvido as muitas pessoas que queriam ajudá-la, mas, preferiu os amigos de má influencia.
    Se eu não tivesse realmente conhecido alguém com esta personalidade iria jurar que esse tipo de pessoa não existiria, mas, infelizmente esse tipo é mais comum do que eu pensei.

  29. eu acho que a questão não é divulgar, nem estimular, nem incentivar a prostituição… infelizmente o cinema não tem esse poder de influenciar as pessoas assim, talvez se tivesse o mundo fosse ser bem melhor, mas não é. O problema aqui é não perceber que aquilo se trata de uma história em particular, mais ainda, de uma história particular que é muito mais ficcional que real (uma lida no livro prova isso), aquilo ali é uma história, um filme só…. reclamar dele como se ele tentasse impor uma ideia é a mesmo coisa que apontar o “Independence Day” como um incentivador do alcoolismo por que o cara que salva a terra é o bebum do Randy Quaid, o que o Scorsese vem celebrando a criminalidade todos esse anos com seus filmes sobre gangsters…
    é lógico que eu acho que uma discussão sobre prostituição tem que existir, mas eu acho que ela deve ser separada do filme de Marcus Baldini, que só quer contar uma história….
    Daniela, o que não devia de ser aprovado para ser divulgado é “Vovó… Zona”, “Nosso Lar” (por mais que esse seja um terreno perigoso) e o Adam Sandler, que, esses sim idiotizam o público…

  30. Não consigo entender a sociedade nos dias de hoje, admira pessoas que não acrescentam nada na educação, estimulam o Big Brother (putaria e gente burra) pq quem entra nesse programa só pode ser burro, ao invés de apresentar programas de cultura para nossas crianças, a sociedade está criando monstros, da mesma forma esse filme, onde incentiva a Prostituição. A guria tinha uma família que amava ela, poderia estudar, estar formada, e sendo uma pessoa que contribui ajudando a sermos melhores.

    EU NÃO ACEITO TEREM APROVADO DIVULGAR ESTA BOSTA DE FILME QUE ESTÁ EM TODOS OS CINEMAS.

  31. “Antes ex-prostituta do que ex-hipócrita”… genial.

  32. A FALTA DE CULTURA ESTA NAS PESSOAS QUE EXPOEM OPINIOES PRECONCEITUOSAS!

  33. E AQUELES QUE CREEM, QUE UM FILME POSSA INFLUÊNCIAR NOS USO DE DROGAS OU PROSTITUIÇÃO,DEIXO AQUI MINHA OPINIÃO:

    SOMENTE OS ALIENADOS E INCAPAZES DE FORMAR SUAS PRÓPRIAS OPINIÕES SE DEIXAM LEVAR POR QUALQUER COISA QUE SEJA!

    O QUE LEVA AS PESSOAS A CRESCEREM LEVANDO UMA VIDA DESORDENADAMENTE,É A FALTA DE AMOR,RESPEITO,ESTRUTURA FAMILIAR AUSENTE NA MAIOR PARTE DAS FAMÍLIAS,DE TODAS AS CLASSES CREDOS E CORES!

  34. Acabo de assistir o filme com meu namorado,e,na boa…
    Ainda que roteiro ou coisa algumanao tenha agradado a todos (já que mesmo Jesus não conseguiu isso)
    Devemos lembrar que estamos tratando de uma história de alguém que como ser humano errou,sentiu dor,chorou,sorriu…E fez de duas escolhas (a de ser e a de deixar de ser uma prostituta)um intrumento lapidador de si mesma,partindo dos fatos que a levaram atingir tal repercursão,é uma história sim de uma ex prostituta ,que antes ex prostituta do que ex hipocritas (que esses nunca deixaram nunca de ser).
    Ainda bem,que bem ou mal ,essa pessoa retratada no filme ,amadureceu e tenta trilhar um outro estilo de vida.
    Inegávelmente inteligente e de personalidade forte para encarar a barra do preconceito,da rejeição e das más linguás e maus corações!

  35. Bom, o filme apenas revelou a historia das maioria das prostitutas do mundo é interessante sim saber o fim e como vivem as prostitutas + não é cultura nem acrescenta nada nas nossas vidas, + vou elogir a atriz protagonista que interpretou muito bem!

  36. Cara se isto for arte sua noção está completamente perdida.

    Quer ver e fazer arte com putas pegue sua câmera e vai passear no centro velho de sampa, Fortaleza, Manaus, Cuiabá, Fronteira com o Paraguai, Recife e por ai vai, entreviste as verdadeiras artistas, veja a merda que a desigualdade social consegue fazer ao ser humano.

    Existem muitas histórias bem mais contundentes e outras que dirão estarem fazendo o que gostam, mas isto faz parte é como em toda profissão, é uma consequência natural, pois a iniquidade já se tornou parte também de sua alma, este tipo de mulher não tem jeito, casa tem ‘’marido’’, filhos até netos, mas nunca vai sair da pista.

    A que ponto chegou à ordem de valores.

    Faça algo bom na sua vida, deixe de cultuar esta infeliz que por ser covarde na qual sem coragem de encarar a vida de frente trabalhando de verdade pegando das 6:00 as 6:00 preferiu um caminho mais prático utilizando-se das próprias ferramentas ou seja…

    E mais você que gostou deste péssimo enredo de vida está aprovado como paga pau, já pode ser também tiete da Annie Sprinkle.

    Fala sério.

  37. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    RESUMINDO TODOS OS COMENTÁRIOS: ESSE FILME É PARA EX-PROSTITUTAS SE EMOCIONAREM E NAMORADOS SE ARREPENDEREM DE PAGAR O INGRESSO (SE LEVAREM EM CONSIDERAÇÃO O QUESITO “CONTEÚDO” DO FILME E NÃO SÓ VEREM UMA PROSTITUTA PRA LÁ E PRA CÁ).

    Sinceramente, UMA MOLECA QUE TINHA UMA VIDA BOA, FAMILIA E AINDA LARGAR TUDO PRA VIRAR PROST. PODE CONTAR UMA HISTÓRIA TÃO SIGNIFICATIVA ASSIM?????????????
    CADE O SENTIDO DISSO GNT??????? KD??????????
    BEM O SENTIDO ESTAR NO FATO DE QUE: POVÃO SE AGRADA C FILMES QUE NÃO “FORCEM MT A CABEÇA”, OU SEJA, SE AGRADAM COM QLQR COISA! TRISTE ISSO……….

  38. Aee Parabens Ministerio da Cultura investiu um monte de grana nesse filme muito edicativo.. Nos Amamos o brasil!! aaaa coitadinha dela tanta coisa no mundo pra ser fazer e ela foi querer fazer o mais facil. lamento daquelas meninas que são retiradas de casa a força do nordeste, aquilo ali e foda prostituição infantil.

  39. Caro Jack Tequila, nesses moldes atuais o Cinemaqui tem quase um ano de vida, e é a primeira vez que um comentário me defende… muito obrigado… estou emocionado e espero que você dê uma passada nos outros textos e me ajude mais por lá também (rs)…..

  40. “Daniel diz:
    01/03/2011 às 16:16
    Achei essa crítica segmentada e metida a intelectual. O filme é super atrativo, trata de temas reais e polêmicos. O livro…? é bom, no entanto varia de acordo com o gosto de cada um.”

    Cara, você só achou isso pq é uma pessoa pouco inteligente… Qualquer pessoa pouco inteligente que lê uma critíca bem fundamentada atacando seu produto de entretenimento favorito tende classificar tal critica negativa como “metida a intelectual”. Que tal vc estudar um pouco mais, ler mais (aposto que vc não chega a ler mais do que 20 livros por anos) e aí quem sabe você nao passa a ser capaz de emitir opiniões acompanhadas com bons argumentos ao invés de apenas achismo?

  41. O livro eu não li e nem quero ler porque imagino que seja uma merda igual ao filme. Também achei que o filme “Bruna Surfistinha” é um incentivo a prostituição e as drogas. Sei que muita gente diz que é a realidade. Mas é esse exemplo que queremos para os nossos jovens? É através de filmes e livros como esses que queremos que nossos jovens enriquecem seus conhecimentos? O que falta no povo brasileiro é dissernimento para separar o joio do trigo. Tudo o que não presta é que faz sucesso: músicas que detonam as mulheres, programas da tv que usam mulheres para dar audiência, novelas que incentivam a traição, a malandragem e tudo o que não presta pra nossa vida.

  42. FFabiane… adoraria realmente que ela viesse discutir esse assunto aqui, ficaria lisongeado com a presença dela….

  43. Todos sabiam o tema que o filme iria abordar, assistiu quem teve curiosidade.
    Sabemos que isso é sim uma realizade em nosso meio, assim como as faucatruas de governo… só que fazer um filme sobre o mensalão ninguem faz. Mas, criticam.
    Agora temos que assumir que ela foi muito verdadeira em fazer e assumir, se foi pensando em dinheiro ai não temos o que questionar, esta exposto para ver e ouvir por quem tiver vontade e ela esta continuando a ganhar em cima disso.
    Questionar sobre a direção, a interpretação, isso sim esta correto, agora questionar sobre o “por que ela fez isso?… ” vai todo mundo mundo ficar aqui discutindo até que ela propria escreva algo e coloque o “ponto final”.
    E sinceramente é ridiculo criticarem dizendo sobre ” Oh o Brasil, mostrando coisa feia!”… sendo que sabemos (os mais bem informados) que existe essa verdade aqui e fora do país.
    Quem veio aqui pra criticar e chamar de lixo, deveria esta la fora no quintal de casa plantando uma árvore para ajudar o mundo. Ja que julgam tão melhores!
    Bruna Surfistinha… virou ficção, ja a Raquel Pacheco continua ai na atividade fazendo um som massa nas baladas GLS (pra quem curti).

  44. Cristicas…cada um pensa o que quer. Dependendo do ponto de vista em qualuqer historia vç pode tirar o proveito ou não. Em relação ao filme em si, (exploração sexual) nao acrescenta em nada. Mais pra mim foi muito significante: A Rachel não nasceu “BRUNA”, ela se tornou por vários fatores, assim como muitas jovens deste Brasil de Norte a Sul, de Leste a Oeste. É uma Hipocrisia da sociedade alheia aos problemas socias em qualquer classe. (A FAMILIA É A ESTRUTURA DA SOCIEDADE AJUSTADA). Assim como essa moça Rachel, existem muitos irmãos togloditas, pais alheios as necessidades dos filhos, abuso na escola, bulling, e etc.
    Existem muitos que passam por tudo isso, e graças a Deus, nao entram numa “furada”, e no final termina sendo um exemplo, mais nao é a regra é uma exceção.

  45. CARO Vinicius Carlos Vieira

    A APELAÇÃO JÁ É UMA FORMA TOLA DE NÃO ACEITAR CRITICAS, TANTO CONSTRUTIVAS OU DESTRUTIVAS, ME SOA ESTRANHO VINDO DE ALGUEM QUE SE SE JULGA TAL, VOCÊ NÃO É NEM DE LONGE UM INTELECTUAL, ESTA NA PARTE DO “IDIOTA” QUE SE JULGA INTELECTUAL, MAS QUE NA VERDADE PRECISA SE AUTO AFIRMAR CRITICANDO E NÃO EXPONDO OPINIÃO, PARA FORMAR PARADOXOS ENTRE OS DOIS…VOCÊ ME ENTEDE?…
    PARADOXO ENTRE CRITICA E OPINIAO….POIS BEM!
    VOCÊ NÃO AJUDOU “REDE SOCIAL” A GANHAR NADA, PORQUE VOCÊ FOI PUBLICO, ASSIM COMO EU, NÃO É NENHUM CRITICO CONHECIDO OU SAUDOSAMENTE NOMEADO PELA ACADEMIA HOLLYWOODANA, ESTA MAIS PARA POLÊMICO OPINADOR, NÃO AGREGA CONCEITOS E OPINIÕES COERENTES ENTRE BIOGRAFIA,FILME,BASEAMENETO ETC ETC ETC A SEREM ACEITAS PARA DAR O TAL FAMOSO OSCAR A ALGUEM.
    CRITICO, ACEITE CRITICAS, ABRA SUA MENTE, TENTE ENXERGAR O QUE É DITO DA MANEIRA EM QUE FOI DITA PARA NÃO SAIR DO CENTRO DO SEU TEXTO QUE ERA O FILME “O DOCE VENENO DO ESCORPIÃO” QUE FOI AUTOMATICAMENTE DESTORCIDO PELA SUA INCRIVEL MANEIRA DE SOMENTE CRITICAR E MOSTRAR QUE VOCÊ É UM “GENIO” QUE ENXERGA ALEM DIGASSE DE PASSAGEM, CONFORME SUA ABSERVAÇÃO….
    EU NÃO SOU UM GENIO, MAS GANHO MUITO MAIS INFORMAÇÕES E CONHECIMENTO SENDO UMA IGNORANTE QUE LE LIVROS,VE FILME,DOCUMENTARIO ENTRE OUTROS ENTRETERIMENTOS E PROCURO ENTENDER O PONTO DE VISTA DO OUTRO PARA REFLETIR E TENTAR RETER ALGO BOM DISSO TUDO E FORMAR OPINIÃO E CONHECIMENTO AO INVES DE CRITICAR. ENQUANTO NO MUNDO EXISTEM GENIOS COMO “VOCÊ” EXISTEM TOLOS COMO EU QUE GANHAM MUITO NÃO SENDO GENIAIS.

  46. já tinha escrito uma resposta de quatro linhas e apaguei por reli o comentário da Elisa e me perguntei se eu devo ser um desses idiotas intelectuais que ajudaram “A Rede Social” a ganhar premios… se a resposta for afirmativa, queria deixar claro que prefiro ser um idiota intelectual que consegue perceber a genialidade do roteiro de “A Rede Social” do que não conseguir apreciar um filme bacana como ele…ah, e a título de curiosidade, nem por um segundo eu analisei a vida da tal de Raquel, mas sim o filme, tanto como adaptação quanto como obra de ficção…e se alguém achar “Os Normais” e “Besouro” legais, azar dessas pessoas, que devem estar estar perdendo os bons filmes de verdade…

  47. O filme “o doce veneno do escorpião” é BASEADO no livro. Li o livro, vi o filme e existe uma linha tenue sobre as realidades mostradas, são historias totalmente diferentes. O roteirista falhou em não usar os relatos do livro em que Raquel relata a infância e adolescência conturbadora que teve. Talvez se isso não fosse poupado muitos tentariam ver e não justificar os motivos pela qual ele se prostituiu. Vivemos em um mundo capitalista, egoista e moralista, somos ESTATISTICA para base de salario minimo que não da pra nada, a Raquel não é burra, pelo contrario ele investiu nela, enquanto falamos e discutimos o porque ela virou GP a conta bancaria dela so engorda, quem é burro mesmo? Será que nã somos nos? A vida é dela, ninguem tem nada haver com a historia de vida dela, cada um tem a sua, acho que as pessoas que criticam são as mais recalcadas, pois, ralam o mês inteiro e não ganham o que ela ganhava as vezes em um dia. Quer se comparar? Faz programa, se não topa, viva sua vida da maneira que achar conveninte e cuide do seu proprio burraco. Quem somos nos pra julgar o que o outro faz, em um mundo tão moderno como esse sera que estamos voltando a era da sociedade julgadora pelos atos dos outros. É so mais um filme, a Raquel não ta nem ai para criticas de intelectuais, almofadinhas, moralistas…CRITICOS falem do fime, PESSOAS COMUNS cuidem da propria vida. DEBORA SECCO fez uma otima atuação. Qual é gente, um filme idiota como “rede social” ganhou premios so porque idiotas intelectuais falaram que foi um otimo roteiro e é uma droga. Pra ser descolados temos que engolir opinião de criticos e não ter a nossa? Os “os normais” foi uma bosta “besouro” outra bosta…e muitos acharam legal so porque quis ser um nerd metido a entendido de cinema pra que essa hipocrisia?

    “Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias. Díficil é encontrar e refletir sobre seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado. E é assim que perdemos pessoas especiais.”

    (Carlos Drummond de Andrade)

  48. Nãovi o filme, nem li o livro, mas acho que cada um é responsavel por seus atos. Quando Raquel saiu de casa para se prostituir ela tinha plena consciência do que estava fazendo, tanto que hoje ela diz que não se arrepende de nada que fez. Se ela quiz esse estilo de vida, problema é dela, essa não é a primeira nem a última historia relacionada a este estilo de ser…

  49. parabéns Cristal, por mostrar um pouco dessa realidade que tão poucos conhecem de verdade (e também pela coragem de compartilhá-la aqui)… espero que você volte sempre no Cinemaqui

  50. Bom primeiro de tudo quero dizer que fui garota de programa durante 7 anos. Sai da vida tem um ano e meio. Aceite um convite de um cliente meu pra que eu saisse da vida e ficasse com ele.Quando assisti aquela parte em que ela chega pela primeira vez em um puteiro e se depara com aquele cenario totalmente surreal eu chorei muito.Porque? simplesmente pelo fato de ser exatamente assim sem tirar nem por nada a cafetina tem realmente aqueles trigeitos e as putas tambem o ambiente tudo.Na mesma hora veio as tristes lembranças.Esse filme mecheu demais comigo, fiquei muito triste e com pena das minhas colegas que continuam nisso e nao tiveram a sorte que tive.Nao e qualquer homem que acredita que uma ex prostituta pode ser uma boa esposa,mae e companheira.Por isso amo muito meu marido.O filme vai tocar muito mais quem viveu nesse sub mundo do que pessoas que vao assistir por curiosidade.ACHO QUE SEUS COMENTARIOS TEM SENTIDO SIM. Achei tambem que a atriz poderia ter se preservado mais ,nao precisaria ter chegado ao extremo para interpretar uma prostituta. O filme o tema por si so ja e apelativo.Senti um desfecho daqueles que os diretores fazem na intençao que se der certo manda o segundo.Bom na minha opiniao Raquel foi fraca,ambiciosa,curiosa ao entrar nessa vida e acabou ficando por que quiz. Nem sempre a realidade e assim.A real necessidade nos empurra e o dinheiro apresiona…

  51. Olá,

    Gostei da sua crítica Vinicius. Agora vou expor a minha.
    Assisti ao filme. Não li o livro.
    Falo aqui em relação à ficção. O filme traz simplesmente mais uma história cotidiana. Todos têm a sua história… Em nenhum momento fez Raquel Pacheco, “Bruna Surfistinha” de coitada ou heroína, longe disso. Mostrou sim, uma garota de boa família, bem criada, “ainda que adotada”, estudando em um bom colégio que quis fugir de regras e controles impostos por pais que querem o melhor pra seu filho (a), para viver uma vida sem limites e muito “fácil”. Seu único objetivo foi exibir-se, ser notada e ter um alto retorno financeiro.
    O Blog foi o meio que ela teve para se promover (comercializar seu trabalho).
    Acho hipócrita dizer que todos entram na “vida” de drogas ou prostituição por falta de perspectiva, sofrimento, depressão ou algo do tipo. Na verdade, o que fazem levar a “tais realidades” é a alta sensação de “poder”, no caso das drogas, a facilidade do dinheiro e a cultura consumista em que vivemos, no caso da prostituição, e, a fraqueza de caráter para ambos os casos.
    Enfim, tudo é uma História. Umas nos levam a fatos e conhecimento. Outras Incentivam, incitam a violência… Levam-nos a reflexão… As de “Brunas Surfistinhas” é mais uma que só nos levam a pensar que tudo poderia ser diferente se não fosse tão “fraca no seu interior”. Acho eu, que foi essa a mensagem que o diretor quis passar em mais uma história cotidiana.

  52. fsa
    Nao querendo defender a personagem bruna surfistinha ou raquel pacheco, mas ela é apenas uma parte do retrato do Brasil. Antes de se dizer inojada por este filme olhe tmb com olhos criticos outros filmes, flmes estes que ganharam vários Oscars e Globos de Ouro. Teria que ter nojo nao de um personagem, um filme mas sim, daqueles que realmente merecem nosso entristecimento que são a maioria dos politicos, a maioria dos empresarios, e nao uma pobre coitada que teve sua historia transformada em filme. Olhe o real significado do historia e reflita um pouco; reflita também, que cinema é entretenimento e nao uma aula de bons costumes.

  53. o nosso Brasil que se tornar e vamos conseguir chegar a uma grande potencia mundial ……e sinceramente me sinto envergonhado sinto nojo …por ainda existir esse tipo de exibição no cinema nacional divulgando a nossa a desestrutura pessoal de uma pessoa que nem deveria ter nascido …..

    BRUNA SURFISTINHA E A VERGONHA DO BRASIL !!!!!

  54. ola paola
    bela observação que tu fez em relação à sinopse do filme e as pessoas que delas assistem, principalmente ao dizer que é interessante pra pessoas “vazias”. Mas pelo visto tu nao teve o que fazer, tem opção no cinema, e teve que assistir ao filme, ja que aparentemente tu se julga com uma cultur altamente elevada, mas mostra que na realidde nao é. Ao fazer este comentario infeliz, tu mostra apenas que é uma pessoa arrogante, que nao tem noção real do ambiente em que vive. Eu estudo na melhor faculdade do estado, meus pais pagam meu luxo e conforto e mesmo assim faço programas, faço nao apenas pelo dinheiro, mas pra crescer, amadurecer, me tornar uma mulher mais evoluída. Provavelmente ela nao tinha talento apenas pra roubar e se prostituir, tanto que hoje é empresaria, otima esposa e cidadâ. Somos seres muito fraco julgamos sem antes saber oque de fato acontece com a pessoa, saber a real situação.
    Como tu mesmo diz que historias admiraveis e interessantes sao aquelas que trabalham dignamente pra conseguir um salario, mas qntas pessoas que aparentemente “trabalham” e roubam, extorquem, sao pessoas pessoas imundas que se escondem atras de emprego de carteira assinada. Eu tenho orgulho de dizer que sou garota de programa, e concerteza tenho mais alma e dignidade que muitos de voces,

  55. Os comentarios enriquecem a critica ao filme de uma forma geral, com seus acertos e erros, porem gostaria de expor ainda um fato que nao sofreu comentarios.Este filme ser liberado para de 16 anos. penso que que houve muito incentivo a este filme, para que os orgaos publicos tenham autorizado para esta faixa etaria. concordo com alguns comentarios, vinhamos em uma sequencias de filmes brasileiros de bom nivel e qualidade. se é para ser util a sociedade, deveriam ter feito uma super producao com o filme “anjos do sol” estrelado pelo antonio Calonni; Com a estoria / historia tao uteis ao conhecimento da sociedade quanto aos expostos pelos tropas de elite 1 e 2.

  56. Adorei a descrição, é um filme interessante para pessoas vazias.
    Sem hipocrisia, prostituição sempre existiu mas hoje em dia com tantas opções é patético ouvir que a pessoa se prostitui porque quer principalmente essa Raquel.
    Hipocrisia seria dizer que ela é uma coitada e como só tinha talento para roubar e se prostituir assim resolveu fazer,aff.
    Hidtórias admiráveis e interessane são daqueles que trabalham o dia inteiro dignamente pra conseguir um salário para garantir a sobrevivência e conseguir um lugar ao sol.

  57. obrigado Santi…. por mais que você tenha sido um pouco duro no seu resumo, pense assim, só de você ter conseguido fazê-lo, já mostra que, pelo menos nesse quesito, o filme conseguiu atingir seu objetivo, já que, existe uma história, tanto é que você conseguiu contá-la… e mais uma vez obrigado pela visita e volte sempre que conseguir…

  58. eu sou garota de programa, e tem mto da vida real sim. assisti o filme agora a noite e saí com lagrimas nos olhos no cinema, pq vi parte da minha vida e da minha realidade ali.
    que falso moralismo é este gente? ele nao incentiva a mulher virar puta nao, se vira é pq no fundo tinha vontade de ser. e se fosse há anos teria várias, ou se esqueceram de UMA LINDA MULHER, este sim mostra o lado convidativo, onde todas vao encontrar um homem lindo, charmoso e rico, e nunca falaram mal dele. Pde ter erros de produção, e tal, logico que pode ja que nao existe filme perfeito, nm mesmo gringo. E qnto a historia, ninguem sabe oque realmente passou na cabeça dela, como era a vida dela. Entao antes de julgar algo, procurem saber o que d fato acontece

  59. Bom, não li o livro, assisti o filme hj porque minha namorada fez o inferno para ver. Gastei com bilhetes, pipocas, refrigenrante e estacionamento, uns 50 reais, fora o combustivel, e no final do filme a sensação de ter rasgado uma nota de cinquenta. Também o que eu esperava? Este filme é a história de uma prostituta! kkkkkkk

    Recaptulando: começa o filme mostrando uma garota burra, sem nenhum afeto com a familia, e além de tudo ladra, resolve virar uma prostituta sem motivo aparente, vai trabalhar em um puteiro, ganha dinheiro fácil, faz amizade com uma das putas, e quando descobre que pode ganhar mais dinheiro sozinha dá no pé e leva sua suposta amiga, mais pra frente ela chuta a amiga como se estivesse chutando um cachorro, começa a gastar mais do que ganha dai se afunda, depois resolve dar mais umas 800 vezes e o filme acaba.

    Vinicius eu gostei da sua critica sobre o filme, belo texto!

  60. Comprei um DVD no camelo e assisti em casa.Nem assisti no cinema porque ja imaginava que o filme nao valeria o preco do bilhete.
    E acertei!Tudo no filme e ruim!Bruna e uma figura ridicula e lamentavel,sua vida e pifia e nao renderia um bom filme nunca.O filme forca a barra pra tentar fazer um “Cristiane F” nacional, mas nao consegue.Tentaram romantizar e glamurizar a vida de Bruna pra torna-la mais interessante,mais “cinematografica” mas o resultado e lamentavel.Tentaram tambem culpar a familia de Raquel pelo seu comportamento,que absurdo!Porque nao forama ouvir a versao da familia dela para essa historia toda antes de coloca-los de forma tao patetica e superficial no filme? Raquel Pacheco e uma pessoa mal-agradecida,irresponsavel e mediocre.O que ela quer e isso mesmo, que todos falem mal,mas falem dela. O filme e um cliche atras do outro, atuacoes ruins,historia simploria,um lixo mesmo.Depois de otimos filmes como Os Normais, Chico Xavier e Tropa de Elite, esse Bruna Surfistinha foi um retrocesso para o cinema nacional.Logo vai ser esquecido ,assim como essa pseudo-celebridade vergonhosa que e essa tal de Bruna,ou sera Geisy,ou sera Bianca Soares?Ah, tanto faz,e tudo a mesma porcaria!

  61. Fala sério mesmo! Gastam uma nota pra fazer filmes que mais parece novela… assistam ao filme EU ODEIO O ORKUT um filme nacional que nem posso classificar de baixo orçamento porque nem orçamento teve, foi feito na raça, e MATA A PAU! Muito bom mesmo!

  62. E O FILME DO RAUL SEIXAS E DO RENATO RUSSO QUE IA SAIR E ATE AGORA NADA??? .. CONTAR HISTORIA DE VAGA Q SE DEU BEM NA VIDA Q MERDA FALA SERIOO BRASIL ..

  63. Boas atuações num filme fraco. Mas o filme é fraco porque a história de vida dessa moça é fraco. Ela tem que botar as mãos para o céu por conseguir um livro e um filme biográficos contando uma vida que não impressiona ninguém. Qualquer prostituta por aí tem histórias de vida mais dramáticas e impressionantes pra contar. Bruna é a pessoa mais autodestrutiva que já vi, diferente da maioria das garotas de programa, poderia ser o que quizesse na vida, optou por essa profissão (se é que isso é profissão) sem motivo. Realmente é uma pena que os brasileiros gastem seus escassos recursos para a cultura dando ibope para esse tipo de pessoa. Retomando, história fraca, filme fraco, bons atores e boa produção. Realmente um desperdício…

  64. ainda acho que, mesmo pobre, eles acertaram na hora de estruturar tudo e criar um linha a ser seguida, e não o modo solto e sem rumo do livro… o esforço deles de criar algo que faça sentido é louvável, por isso que eu elogiei o roteiro….

  65. Vieira, você foi educado e nobre em escrever detalhes tão infimos de um enredo tão pobre. Assisti ao filme hoje e não vi nada mais do que já se esperava. Talvez se Baldini usasse mais o drama literário do que a pornografia, este apelo aos trogloditas que aplaudiram de pé tal lixo cinematográfico… uma pena usar somente as drogas como vilãs número um deste enredo pobre. A luxúria e a ingratidão ficaram de lado, e são, indiscutivelmente a força motriz para qualquer drama social…

  66. Concordo em partes com a critica. Por se tratar de um tema bastante interessante acredito que pode sim conscientiza toda uma sociedade com esse tipo de “profissão”. Sei que existe ainda um tabu muito grande em relação à prostituição. O filme traz temas que podem atrair as atenções dos jovens como: o consumo excessivo de drogas e a relação com os pais. Já em relação à Débora seco para mim fez um bom trabalho e conduziu muito bem o personagem – apesar de que não surpreender em atuação.

  67. O filme não acrecenta nada. Só insentiva a prostituição. ACHAM QUE ESTE TIPO DE VIDA É FACIL. RSRSRSR

  68. Crítica segmentada e metida a intelectual (2)
    Um crítico tentando ser alguem na vida !!!

  69. Concordo…esse filme é um grande LIXO…tantas outras histórias de pessoas muito mais honrosas..e esse filme é um grande incentivo as drogas e prostituição, parabens Brasil mostre ao mundo q lixo nós somos

  70. Sem conteúdo! Não acrescenta em nada a nossa cultura. Um culto a prostituição!?

  71. “segmentado e metido a intelectual” é de longe os dois adjetivos mais interessantes que já deram para um texto meu…

  72. Achei essa crítica segmentada e metida a intelectual. O filme é super atrativo, trata de temas reais e polêmicos. O livro…? é bom, no entanto varia de acordo com o gosto de cada um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.