Bellingcat: A Verdade Em Um Mundo Pós-Verdade | Devidamente pessimista

*o filme faz parte da cobertura da 43° Mostra Internacional de Cinema de São Paulo


Bellingcat é um documentário sobre esse grupo de jornalistas investigativos amadores que conseguiram construir, a partir de evidências extraídas da internet, o caso que ligou a queda do avião MH17 sobrevoando a Ucrânia a militares russos.

O objetivo do filme é demonstrar como a tecnologia que nos conecta há mais de 20 anos tem mudado nossa percepção da verdade. Se antes não tínhamos dúvidas do publicado na mídia tradicional, hoje ela ganha um concorrente à altura com a união indireta entre pessoas que estão no momento da notícia ou que possuem informações privilegiadas, que compartilham essa informação online, e pessoas que possuem a habilidade e o interesse em juntar essas informações em um caso muito mais cheio de evidências concretas do que o “modus operandi” antigo de confiar nas autoridades.

A introdução do filme nos prepara para esta nova realidade com uma citação de Foucault que relaciona poder e verdade, e conclui com pertinente e ambígua frase de Obama durante os acontecimentos da queda do avião: “let the truth out”, que no inglês pode significar tanto trazer a verdade à tona quanto manter a verdade fora da equação.

O núcleo do filme, que caracteriza seu início, desenvolvimento e fim é a investigação sobre a queda do avião da Malasya Airlines, mas esse é um gancho que permite ao diretor, roteirista e cinegrafista Hans Pool mostrar ao espectador de uma forma muito didática como trabalhar os dados online disponíveis a qualquer pessoa com acesso à internet.

Ele começa com um exemplo trivial, e que hoje é mais trivial ainda: reconhecimento de face. Através de padrões no rosto do líder de um movimento supremacista que junto de sua gangue espancou uma pessoa, o jornalista investigativo consegue encontrar tudo sobre a vida do sujeito, seus amigos e familiares. E como um dos jornalistas fundador do grupo Bellingcat, cada vez mais essas evidências são usadas e aceitas nos julgamentos.

Mas o mais impressionante mesmo são as evidências coletadas da origem e destino dos mísseis russos, sendo um deles responsável pela queda do avião. Unindo dados de vídeos pessoais publicados na internet e a funcionalidade de “voltar no tempo” as imagens de satélite do Google Earth, o habilidoso jornalista consegue rastrear um caminhão com quatro mísseis, mais tarde visto apenas com um. O mesmo tipo de investigação permitiu identificar o tanque lançador e um jipe russo. Os detalhes que são extraídos das ferramentas online começam a soar mais poderosos que a mídia mainstream.

E de que forma isso impacta a forma como enxergamos as notícias de hoje? Se trata de uma verdadeira revolução, e bem-vinda, na época em que propaganda estatal ou corporativa vira verdade (vide Privacidade Hackeada) a serviço de interesses alheios à verdade dos fatos. O filme mostra os exemplos mais marcantes, como vídeos de crianças assassinadas na Síria, as execuções do ISIS e a explosão de um carro noticiado como um atentado terrorista, mas o formato do filme nos permite imaginar infinitas possibilidades.

Bellingcat é sobre um serviço de investigação jornalística e pode também ser visto como propaganda do canal homônimo, mas o que um dos fundadores diz a respeito da diferença entre eles e uma “BBC da vida” é crucial: um jornalista da BBC pode usar o nome do jornal para o qual ele trabalha como argumento. Eles não. Assim como na ciência, ninguém precisa acreditar na notícia, pois basta percorrer os mesmos caminhos que o jornalista. Para isso basta que suas fontes estejam ligadas à notícia. Esse apelo à transparência, um verdadeiro serviço de notícias pela busca da verdade é um sopro de vento fresco em torno de tantos filmes pessimistas sobre o uso da informação.


“Bellingcat: Truth in a Post-Truth World” (Hol, 2018), escrito e dirigido por Hans Pool, com Moritz Rakuszitzky, Jay Rosen, Hadi Al-Khatib, Aidan White, Alexa Koenig e Veli-Pekka Kivimäki.



Trailer do Filme – Bellingcat: A Verdade Em Um Mundo Pós-Verdade

Outros artigos interessantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *