Como se Fosse a Primeira Vez versão thriller“. Pelo menos essa era a ideia inicial de Antes de Dormir. Acordamos pela primeira vez junto da assustada Christine (Nicole Kidman) abraçadaAntes de Dormir Poster com alguém desconhecido em um quarto estranho. Ela ouve do seu marido Ben (Colin Firth) que sofre de um tipo de amnésia que a faz esquecer o dia anterior. Essa rotina acontece há tanto tempo que sua mente jovem estranha seu rosto envelhecido no espelho. Já conhecendo essa história me surpreende como essas pessoas nunca tentaram passar uma noite em claro para ver o que acontece.

Apesar de ficar mais ou menos claro que sua condição foi causada por um ataque extremamente violento, seu novo neuropsicológo (Mark Strong) confia em um tratamento baseado em diário de vídeos que Christine passa a fazer todos os dias, o que se torna um tiro no pé do roteiro, pois além de ser irreal sua capacidade de recuperar diariamente tantas informações de sua vida e conseguir ao mesmo tempo manter sua sanidade, logo sua doença crônica já não cumpre qualquer papel na narrativa: tudo se resume em recordar o que aconteceu no dia traumático. Vindo de uma pessoa com problemas de memória se torna um prato cheio de criações fantasiosas que, sem imaginação, partem para o velho clichê de “quem é o culpado”.

E por falar em clichê, o diretor e roteirista Rowan Joffe (Um Homem Misterioso) explora o gênero da pior maneira, e com a ajuda da trilha sonora reforça em exagero um clima de desesperança e sustos infantis. A fotografia de dias sempre cinzentos se sai melhor, pintando um quadro repetitivo e sufocante, cuja elegante exceção é um encontro especial que se passa em um dia ensolarado e não por acaso em Greenwich: marco zero tradicional na contagem do tempo.

Antes de Dormir Crítica

Nem tudo é descartável na trama. O fato de pouco vermos o marido, por exemplo, e apenas de manhã, é sintomático e pode levar a uma analogia a respeito de como uma relação entre casais se deteriora pela memória no passar dos anos. Ao mesmo tempo, é assustador não conseguir distinguir a verdade, ou aos poucos ir descobrindo pequenas parcelas de uma verdade maior e inalcançável para a protagonista (como o fato de ter tido um filho). Conforme acompanhamos Christine, fica claro que a ideia de Antes de Dormir é muito mais assustador que seu desenvolvimento. Com isso, infelizmente o resultado final descamba para o previsível em estruturas do gênero, e ironicamente se torna um filme esquecível que dificilmente sobreviverá a uma revisita.


“Before I Go To Sleep” (RU/Fra/Sue, 2014), escrito e dirigido por Rowan Joffe, com Nicole Kidman, Conlin Firth, Mark Strong e Adam Levy


Trailer – Antes de Dormir

Outros artigos interessantes:

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.