A Incrível Jessica James | Não foge do convencional, mas funciona


AIncrível Jessica James foi claramente concebido como um “star vehicle” (filme com o objetivo de promover ou aproveitar-se da fama de determinado nome) para Jessica Williams e, nesse sentido, se sai muito bem. De resto, apesar de não fugir muito do convencional, o longa envolve e diverte pela maneira segura e autêntica com que é conduzido.

Jessica James (Jessica Williams, que até então era mais conhecida como correspondente do The Daily Show) é uma jovem mulher de vinte e poucos anos que se mudou para Nova York em busca do sonho de ganhar a vida como dramaturga. Esse sonho ainda parece distante — ela coleciona as cartas de rejeição recebidas por suas peças —, mas, apesar dos desafios, Jessica gosta e é boa em seu trabalho de ensinar crianças a se expressarem por meio do teatro. Mas ela fica ainda mais perdida depois de terminar com Damon (Lakeith Stanfield), até que, por insistência de sua melhor amiga, Tasha (Noël Wells), Jessica sai com um homem recém-divorciado, Boone (Chris O’Dowd). Por terem passado por uma experiência semelhante, os dois se dão bem e começam a construir uma amizade que nenhum dos dois sabe muito bem se querem, ou como, transformar em algo mais.

Mas o diretor e roteirista Jim Strouse acerta ao não centrar os conflitos e o arco dramático de Jessica em seus dramas amorosos — que, sim, são importantes, mas muito mais no sentido de que guiam a protagonista rumo a compreensões sobre ela mesma, e não simplesmente por que queremos saber com quem ela vai ficar no final. Assim, o amor mais profundo de Jessica é definitivamente o que ela sente pelo teatro, arte que não apenas ampliou sua percepção sobre as possibilidades da arte, mas também sobre o mundo em que ela vive e o espaço que ocupa nele. Dessa forma, é tocante vê-la provocar seus pequenos alunos — especialmente as garotas — a refletirem sobre seus pensamentos e suas vivências e traduzi-los em teatro.

Jessica pode estar um tanto desorientada, mas ela é confiante e competente em sua profissão. Aliás, outro mérito de Strouse, e de Jessica Williams, é a confiança fácil e natural que a protagonista exala; apesar de todas as incertezas, ela sabe seu valor, e é ótimo ver uma protagonista assim. Os conflitos dela com Damon e com Boone também são multifacetados, indo além de obstáculos colocados de maneira pedestre no roteiro apenas porque é preciso ter algum conflito.

E se Chris O’Dowd responde bem à naturalidade de Jessica e cria um personagem carismático que jamais ofusca a protagonista, Lakeith Stanfield consegue ir além do clichê mesmo com pouco tempo de tela. Ainda que a amizade entre Jessica e Tasha pudesse ter sido melhor explorado, ela e Noël Wells dividem cenas divertidas e que mostram de forma espontânea o relacionamento das duas.

Hábil também ao inserir as redes sociais no dia-a-dia dos personagens sem que isso torne-se pedante, A Incrível Jessica James se beneficiaria de um terceiro ato um pouco menos acelerado e um pouquinho menos focado em Boone, mas ainda assim trata-se de uma comédia competente e com uma protagonista que vale a pena conhecer.


“The Incredible Jessica James” (EUA, 2017), escrito e dirigido por Jim Strouse, com Jessica Williams, Chris O’Dowd, Lakeith Stanfield, Noël Wells e Taliyah Whitaker.


Trailer do Filme – A Incrível Jessica James

Outros artigos interessantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *